Vale a pena comprar ativos distressed? Saiba mais

Eles são usados para descrever ativos que antes valiam muito e agora têm pouco ou nenhum valor. Por exemplo, durante o processo de falência, esses tipos de ativos podem ser vendidos a preços baixos, pois não são mais valiosos.

 

É bastante claro quando um ativo está perto de falir ou tem problemas financeiros. Isso significa que eles precisarão pagar uma taxa de juros mais alta para que o comprador de seus ativos considere o risco de obter esse ativo.

 

Mas, em ativos em dificuldades, a compensação pode ser um pouco diferente de apenas ter um título médio.

 

O maior retorno sobre o investimento quando se trata de ativos problemáticos é a reestruturação. Deixe-nos explicar: esses tipos de ativos estão diminuindo o valor da depreciação e são muito baratos.

 

Ao comprar uma empresa, o objetivo geralmente é reestruturar a empresa para que ela possa se recuperar e começar a lucrar novamente. Isso leva ao aumento do valor da empresa, que pode ser vendida com um lucro significativo.

 

Existem empresas que fazem isso por conta própria e empresas estruturadas como fundos de investimento. Estes últimos recebem uma parte da venda dos ativos recuperados.

 

Diferentes medidas podem ser tomadas para ajudar na insolvência. Elas incluem cobrança judicial, cisão, incorporação, fusão, mudança de controle societário e arrendamento de estabelecimento, para citar apenas algumas.

 

Vantagens e desvantagens dos ativos distressed

 

A principal vantagem dos ativos distressed é bem clara: o baixo investimento e o alto valor que você pode repassar esse tipo de ativo.

 

A essência de tentar ganhar dinheiro é: comprar na baixa e vender na alta. E é isso o que acontece com os ativos distressed.

 

Ao comprar um ativo distressed por um preço inferior, qualquer ganho dessa reestruturação já dará um lucro bom.

 

Além disso, toda desvalorização que poderia acontecer, já aconteceu. Isso significa que há um potencial de alta muito maior do que o risco de queda.

 

Uma desvantagem deste investimento é o seu baixo perfil.

 

Você provavelmente já percebeu que esse investimento é considerado de alto risco. Isso significa que a taxa de inadimplência provavelmente será alta. Os ativos são classificados como de alto risco se tiverem falido no passado ou provavelmente irão falir em breve.

 

Mencionamos que uma desvantagem desses ativos é que seu valor pode cair, mas graças à relação risco/recompensa assimétrica oferecida, não se preocupe. Outra desvantagem potencial é o risco de crédito, que é basicamente quando o mutuário entra em default.

 

Os fundos de investimento que investem nesses ativos precisam ter um especialista a bordo. Encontrar e recrutar um especialista com esse nível de habilidade pode ser difícil e caro, por isso é importante que ele tenha a formação e a personalidade certa para se adequar a toda a equipe.

 

Também não é barato. Os fundos de investimento terão que contratar escritórios de advocacia, aguardar o longo processo da justiça brasileira e investir muito para o caso de tudo dar errado. As taxas legais certamente não são nada para se apressar. Ou seja, a recuperação que os ativos terão também precisará cobrir os pesados custos de sua reestruturação.

 

Fundos como esses são destinados apenas a investidores profissionais e não são recomendados para iniciantes, pois exigem um mínimo de 10 milhões para serem considerados profissionais.

 

Isso significa que apenas um número limitado de pessoas pode investir neles e é natural porque é um ativo de risco.

Vale ou não a pena investir em ativos distressed?

 

Tenha em mente que essa é uma questão subjetiva. Então, para entender seu perfil de investidor, aproveite e faça nosso teste de exclusão.

 

Os benefícios que a empresa colherá no futuro, se essa reestruturação for bem feita, são enormes. Mesmo que isso não aconteça, eles ainda ganham muito dinheiro.

 

Nossa nova lei de falências corporativas está em vigor desde 2006, o que pode ajudar nisso.

 

Novas leis nessa área devem tornar mais fácil para as empresas se reerguerem. Isso ocorre porque o processo de recuperação será menos árduo e mais suave.

 

Esses ativos também não são correlacionados com outros investimentos, o que significa que você pode usar a IA como uma boa maneira de diversificar seu portfólio. Nos dias de hoje, tornou-se um importante instrumento de investimento.

 

Esse risco mais alto significa que você precisa correr riscos com seu investimento, bem como investir em outros tipos de opções de “diversificação de portfólio”.

 

Portanto, mesmo que eles não sejam o foco principal, ainda pode ser uma boa ideia ter esses investimentos em seu portfólio. Eles vão fornecer grandes retornos também.

 

Esses investimentos terão um grau em seu portfólio, mas o nível dependerá da quantidade de risco que você está disposto a assumir e de como deseja que seu futuro seja.

 

Agora você já sabe o que são os ativos distressed, quais são suas vantagens e desvantagens, e como proceder em cada situação.

 



Diga-nos o que achou do post: