Tudo tem um fim

Tudo tem um fim

Fim !
Quanto tempo leva ?
Um milésimo de segundo ?
Tudo chega ao fim ?

Finitude !
Fim !
Ser !

Nada na vida é para sempre
Pouco aceito no meio humano
Alguém diz: “depois pensamos nisso.”

A vida é um jogo camuflado
Em que o fim é pouco refletido
Quando nos damos conta : game over !

Infinidade de pensamentos me povoam
Noto que cheguei ao fim
Há quem o veja como um lindo por do sol.

Outros, como um aglomerado de pessimismo
Somos chamados a sermos felizes
A construirmos a presença infinita da felicidade em nossas vidas.



Carlos de Campos nasceu em 1980 em Biritiba Mirim, São Paulo. Apaixonado por Poetrix. Em 2017, começou a escrever seus versos nas redes sociais, expressando-se de maneira profunda, em reflexões e observações sobre a condição humana, entre outras; analisando sua organização, atuação e intempéries emocionais, de forma leve, porém, concisa e incisiva. Não se deixando condicionar por padrões, investigando, atentamente, os recônditos mais conflitantes da existência e expressando-o, poeticamente, através do seu minucioso olhar. Autor do Livro Enquanto a solidão me abraça https://caravanagrupoeditorial.com.br/

Diga-nos o que achou do post: