Trabalho e qualidade de vida: Saiba como conciliar

A qualidade de vida é a busca de todo profissional. Um bom emprego é sinônimo de uma vida plena. Mas, às vezes, é preciso analisar as condições de trabalho para saber se toda a energia gasta nele está valendo a pena.

Segundo a OMS, qualidade de vida “é a percepção do indivíduo de sua inserção na vida, no contexto da cultura e sistemas de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.

Sendo assim, ter qualidade de vida é ter condições de alcançar objetivos individuais no lugar em que a pessoa se encontra na sociedade.

Pode parecer algo simples, mas envolve muitos aspectos, como:

  • Classe social;
  • Gênero;
  • Idade;
  • Saúde física e mental;
  • Nível de instrução;
  • Relacionamentos sociais.

O que une todos esses elementos é o trabalho. É através dele que as pessoas conseguem condições materiais para viver. 

Qualidade de vida no trabalho

Em linhas gerais, a qualidade de vida no trabalho é determinada pelo grau de satisfação do trabalhador com a função que ele exerce e com o ambiente de trabalho que ele frequenta.

A discussão sobre a qualidade de vida no trabalho ganhou força nos anos 70, quando influenciados por pesquisas acadêmicas, os gestores se deram conta de que funcionários desmotivados produziam menos.

A partir daí o Recursos Humanos passou a ser tão valorizado quanto os recursos tecnológicos.

O objetivo principal do empregador deve ser sempre potencializar os bons resultados de seus colaboradores. Assim, eles se mantêm motivados e a empresa aumenta a lucratividade.

É importante destacar que fatores externos também influenciam a qualidade de vida no trabalho. 

Problemas pessoais afetam diretamente o desempenho do trabalhador. A empresa tem que possuir meios de ajudar nesses casos.

A importância da qualidade de vida no trabalho

Colaboradores felizes são colaboradores produtivos. Eles precisam ter possibilidade de realizar objetivos como subir de cargo, por exemplo.

Essa perspectiva dá motivação para o funcionário se esforçar nas atividades profissionais e impacta diretamente nas relações familiares e sociais fora da empresa.

Uma pesquisa de 2016 da Sodexo mostrou que empresas que pensam em medidas para melhorar a qualidade de vida dos funcionários têm um clima organizacional 91% melhor.

Clima organizacional

O clima organizacional é a atmosfera psicológica da empresa: a qualidade das relações entre os funcionários.

Se os trabalhadores de uma empresa de fabricação de plástico tiverem a oportunidade de conversarem e se identificarem uns com os outros, o trabalho fluirá muito mais porque a rotina ficará mais leve e prazerosa.

A ideia de que o trabalho é um mal necessário está cada dia mais ultrapassada. 

Hoje em dia, as empresas precisam investir em boas condições de trabalho e no setor de RH para que a rotina de trabalho seja prazerosa.

Investindo nisso, o gestor diminui as taxas de rotatividade e aumenta a atração de talentos.  

Lucratividade

De acordo com uma pesquisa da revista Exame, empresas que se preocupam com a qualidade de vida dos seus contratados são 70% mais rentáveis do que a concorrência.

Afinal, o lucro não se trata apenas da quantia de dinheiro que entra e sai da empresa.

Eficiência nas etapas de trabalho e boa comunicação entre os funcionários são qualidades essenciais a todas as empresas porque garantem um fluxo de produção de alto rendimento. 

Sendo assim, determinam a lucratividade do negócio.

Imagine que as secretárias de uma clínica especializada em cirurgia de varizes a laser tenham dificuldade para atender aos telefonemas diários porque estão sobrecarregadas.

É dever do dono da clínica conversar com elas para ter noção das suas necessidades e avaliar se é preciso contratar mais pessoas para executar essa tarefa.

Redução das faltas

Funcionários de empresas que valorizam a qualidade de vida faltam menos e se estressam menos.

Um trabalhador que se sente valorizado se satisfaz mais com o seu trabalho e por isso leva o compromisso com a empresa a sério.

Isso tem efeitos diretos na saúde mental e física de qualquer pessoa. Se o trabalho em uma clínica popular é fluido e o ambiente é agradável, ir até o local todos os dias não será um sacrifício, mas um privilégio.

Redução de custos

Uma equipe mais comprometida diminui consideravelmente os prejuízos, já que a produtividade e a eficiência aumentam.

Investir no bem-estar dos funcionários significa eliminar despesas como:

  • Danificação de mercadorias e equipamentos;
  • Atestados médicos;
  • Problemas com o atendimento ao cliente.
  • Despesas jurídicas.

Não basta só se preocupar com o bem-estar do cliente. É preciso também olhar para dentro da empresa e ter certeza de que todas as pessoas envolvidas se sentem bem naquele ambiente.

Isso tem um reflexo direto na imagem da empresa, por exemplo, o cliente percebe se os arquitetos responsáveis pelo planejamento de paisagismo residencial da sua casa fizeram o trabalho com empenho e dedicação.

Como melhorar a qualidade de vida dos funcionários

Existem formas eficientes de melhorar a qualidade de vida dos profissionais que vão desde atitudes pontuais até benefícios institucionalizados.

Equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Horas extras devem ser feitas só em casos de extrema urgência. O trabalhador precisa ter tempo livre para se dedicar a outras atividades.

Um consultor financeiro empresarial com muitos clientes para atender e muitas metas para atingir inevitavelmente vai se ver sem tempo para sua família e para suas horas de lazer.

Isso causa estresse e a longo prazo prejudica a produtividade do profissional. 

Caso o funcionário acumule muitas horas extras, ofereça para ele a possibilidade de ter um dia de folga.

Benefícios

Oferecer benefícios quando metas são batidas é uma forma muito eficaz de motivar a equipe.

O dono de uma fabricante de arara de ferro para loja pode oferecer bonificações em dinheiro para cada meta batida. 

Lembrando sempre que as metas devem ser realistas e relevantes para a evolução dos profissionais e da empresa como um todo.

Oportunidades de crescimento

O gestor precisa escolher sua equipe já tendo em mente que deseja mantê-la na empresa por um período longo.

É preciso conhecer quem trabalha com você para perceber as qualidades e defeitos de cada um. Assim, na hora de promover alguém a decisão será mais segura.

Cada colaborador tem que ter a segurança de que tem oportunidade de crescer na empresa. Essa é outra forma de recompensar os funcionários e motivá-los para realizar as atividades diárias.

Intervalos regulares

As longas jornadas ininterruptas já não são mais uma realidade. Os gestores têm percebido que permitir intervalos entre atividades aumenta a produtividade.

Investir em uma área de descanso na empresa que possibilite descansar e até mesmo se divertir durante o expediente é uma forma de aliviar a rotina e diminuir o estresse.

Intervalos regulares também privilegiam a comunicação interna porque dão oportunidade para colegas de trabalho conversarem sobre assuntos diferentes e se aproximarem um do outro.

Salários

Remunerar de maneira justa é uma das maiores garantias de que o trabalho será bem feito.

Afinal, o salário é o grande indicador de satisfação dentro de uma empresa. Um profissional bem pago é mais satisfeito com sua atividade e como consequência, aumenta a produtividade da empresa.

Além disso, ter um bom salário é garantia de poder tirar as merecidas férias no fim do ano.

Diálogo com a equipe

Chefe e funcionário devem ter a liberdade de conversar abertamente sobre os rumos da empresa.

Para isso, uma boa alternativa é fazer pesquisas sobre a opinião da equipe sobre o ambiente de trabalho e a remuneração.

Apesar da hierarquia, uma empresa só funciona plenamente quando existe sintonia entre todas as partes.

Por exemplo, se a equipe da empresa de descarte de lixo eletrônico está sobrecarregada, é dever do gestor ouvir o que ela tem a dizer e tomar a melhor decisão para resolver o problema.

Qualidade de vida gera longevidade

Se você segue todas as dicas desse texto, a longevidade do seu negócio é certa. Investir no bem-estar de quem trabalha com você é também investir em produtividade e lucratividade.

Cuidar do capital humano é necessário. Empresas são feitas por seres humanos, não por máquinas. Ouvir o que cada um tem a dizer é a receita para ter uma equipe coesa e dedicada às suas atividades.

As condições de trabalho também dizem respeito ao cuidado com todas as documentações e medidas necessárias para a realização das atividades.

Uma fábrica de móveis sem alvará de funcionamento do corpo de bombeiros ou uma empresa mineradora sem licenciamento ambiental para explorar determinada área, por exemplo, estão colocando a vida dos funcionários em risco.

Resumindo, o capital humano de uma empresa é seu maior bem. Cuidar dele é o primeiro passo para construir um negócio de sucesso.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.



Diga-nos o que achou do post: