Todos somos potenciais suicidas

Nunca subestime a coragem de quem afirma está pensando em se matar. Um suicídio passa por três processos, despertar (insight), planejamento e execução.


Só uma mente suicida tem a chave de entrada e saída de seu mundo encarcerado pela angústia que lhe causa atroz sofrimento.


Em nenhum momento discorde ou concorde durante o desabafo de uma ideação suicida, pois em ambas situações isso tende a crescer a revolta fomentando o desejo da auto exterminação. Ofertar a escuta sem intervenção é a melhor maneira de lidar com o potencial suicida, pois para ele suas razões estão acima de tudo e todos, dado ao seu alto grau de perturbação que lhe acomete em função da asfixia psíquica, pois até um pequeno gesto de concordância ou pequenas manifestações sonoras como: Huuummm, Haaaaa, sempre vai representar uma opinião de conotação contrária e portanto sempre virá uma reação hostil.


Na realidade o portador de ideação suicida não deseja acabar com sua existência, mas sim acabar com os problemas que estão lhe sufocando, porém ele está trilhando o caminho mais rápido e acessível na intenção de se libertar do pesado fardo que julga não mais aguentar, por isso aconselhamento é o maior veneno nessa instância. A escuta atenciosa, sem interrupções, sem julgamentos e acolhedora, tende a neutralizar parcialmente a resistência provocando a sensação de alívio naquele momento.


Todo potencial suicida se fecha para o mundo externo e imerge em seu mundo de revolta que geralmente desencadeia formas cruéis e agressivas quando se trata de tudo que estiver fora do seu “eu”, mas existem casos em que os sintomas são silenciosos e só são percebidos pela excessiva quietude e falta de ânimo, ausência de opinião, indiferença em situações relevantes, isolamento, perda de interesse pelas pequenas coisas, lentidão de gestos e raciocínio, tristeza e exclusão social. Por mais que não pareça, esse segundo cenário é mais preocupante, pois não há vazão das emoções e sentimentos o que através dos efeitos psicossomáticos torna vulnerável todos os órgãos do corpo físico, podendo subitamente provocar um AVC, paralisia cerebral, hemorragias entre outras consequências que pode interromper a vida física antes do processo suicida chegar na fase de execução.


Atualmente segundo a OMS sinaliza o número de que no mundo ocorre 1 suicídio a cada 40 segundos, o que nos propicia uma pequena noção do quanto a nossa sociedade global está doente.


O mais alarmante é a afirmação de que todos nós temos um determinado potencial suicida, o que nos distancia de tal ideação são os valores que cultuamos, o amor que doamos, os vícios que nutrimos, nossas objetividades, os hábitos que conservamos e finalmente as escolhas e decisões que constroem nossa evolução. A condição de seres humanos nos afasta ou aproxima do suicídio, vai depender do quanto nos permitimos entender nosso papel nesse contexto chamado vida.



Mercadólogo, consultor comercial, teólogo, coach, psicanalista.

Diga-nos o que achou do post: