TETO Brasil mobiliza centenas de jovens voluntários e moradores de favelas para construção de mais de 150 moradias

Maior ação da organização social em 2019 marca a construção da casa 4 mil

Hoje, dia 9 de julho,  a ONG  TETO Brasil finaliza sua maior ação do ano em SP. Trata-se da construção de casas emergenciais feitas  para pessoas vulneráveis que vivem em favelas e conta com a participação de centenas de voluntários que se unem aos  moradores para substituir barracos precários por um modelo de casa pré-moldada de 18m².

A ação, denominada  “Trabalhos de Inverno” se iniciou em São Paulo neste final de semana,  mas  continua nos estados do  Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Paraná e Pernambuco.

O marco acontecerá na comunidade Bemfica, em Guaianazes, zona leste de São Paulo, que deverá receber a casa de número 4 mil amanhã, dia 09/07, encerrando os trabalhos do final de semana que construiu mais de 150 moradias.

Mesmo em meio a condições precárias, as expectativas dos  moradores são altas. Vanessa, que receberá a casa 4 mil, não vê a hora de ver sua nova casa em pé. Mãe de 5 filhos, ela e sua mãe vivem em um barraco de madeirite na comunidade desde que a parede de sua casa de alvenaria caiu. Desde então, Vanessa não dorme de preocupação com a segurança dos filhos. Com uma história marcada por abandono paternal – primeiro por seu pai, um suíço, depois pelo marido – tem em seus filhos sua maior força, e faz o possível para não deixar faltar nada a eles.

Também aguardando a construção está o voluntariado do TETO. Os jovens ocupam, hoje, um quarto da população do País. Segundo o IBGE (Censo 2010), são 51,3 milhões de brasileiros entre 15 e 29 anos vivendo no Brasil. Mas afinal, o que move a juventude brasileira? Podemos afirmar que transformar a realidade em que vivem é uma pauta comum entre eles. É o que aponta pesquisa feita pela Secretaria Nacional da Juventude, que constatou que cerca de nove em cada dez dos entrevistados responderam que acreditam que os jovens podem mudar o mundo, sendo que, para sete deles, podem mudá-lo e muito.

Isso fica evidente quando destacamos o trabalho voluntário. Em crescimento exponencial nos últimos anos, o voluntariado fala para público que clama por espaços de participação e se torna uma forma de protagonismo juvenil. Só no ano passado, a TETO Brasil mobilizou quase 10 mil jovens em suas atividades, como a construção de moradias emergenciais, sendo que 77% têm entre 18 e 22 anos.

Entre os voluntários envolvidos  está Fábio de Souza, ou Fabinho, que passou a infância nos arredores de uma das comunidades em que o TETO atua, em Osasco. Hoje o voluntário tem em sua trajetória mais de 15 construções no TETO.

“Eu não sei explicar em palavras o amor que eu sinto em tudo isso. Quando estou nas comunidades lembro da minha infância e do quanto foi importante alguém ter me motivado, acreditado e escutado”, afirma Fabinho.

Para ele, sua maior motivação é ver o sorriso de cada morador e de cada voluntário que nunca imaginou que iria construir uma casa. “Uma vez uma moradora me falou que a gente não só ajudou ela a construir a casa, mas que alimentamos a alma para elas continuarem seguindo em frente e buscando o melhor para sua família”, afirma. “A casa é muito importante para suportar o frio, o sol, a chuva. Mas o calor humano alimenta a alma”, finaliza.

 De acordo com dados de 2016 do IBGE, 44,4 milhões de pessoas integram o grupo de 50% com menor renda e média salarial de R$747 por mês, valor inferior ao salário mínimo. Os baixos salários das pessoas que vivem nesses locais,  não as permitem permanecer na cidade formal, tendo como saída viver em favelas precárias, sem acesso a serviços básicos como saneamento e eletricidade.

Sobre o TETO:

TETO é uma organização internacional que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nas favelas mais precárias, por meio do engajamento comunitário e mobilização de jovens voluntários. Com a implementação de um modelo de intervenção focado no trabalho lado a lado com moradores de comunidades, o TETO conta com soluções de moradia e projetos de melhoria do entorno da comunidade, como a construção de  casas emergenciais, associações comunitárias, reforma de acessos, projetos de pavimentação, além do fortalecimento de lideranças comunitárias e oficinas de direito. O TETO é associado à organização internacional TECHO, presente em 19 países da América Latina. Há mais de 10 anos no Brasil, a organização já trabalhou em mais de 120 comunidades, construiu mais 3.400 casas emergenciais, desenvolveu 30 projetos comunitários e mobilizou mais de 45 mil voluntários.

 

Fonte: CS Comunicação



Diga-nos o que achou do post: