Sufocado

Sufocado

 

Poder e glória
Razão e inconsciente
Amor e ódio
Nada faz sentido na vida.

Superar é necessário, todos os dias
Resiliência é que nos dá sentido
Sentir é o remédio contra a insanidade
Viver é sentir e resistir.

O medo que turva  nosso olhar
Olhar de quem tudo desconfia
Destino que se aproxima.

Amo você, como ninguém
E, agora, tudo o que me toca, anda a sufocar-me
Porque, amar você, me sufoca.



Carlos de Campos nasceu em 1980 em Biritiba Mirim, São Paulo. Apaixonado por Poetrix. Em 2017, começou a escrever seus versos nas redes sociais, expressando-se de maneira profunda, em reflexões e observações sobre a condição humana, entre outras; analisando sua organização, atuação e intempéries emocionais, de forma leve, porém, concisa e incisiva. Não se deixando condicionar por padrões, investigando, atentamente, os recônditos mais conflitantes da existência e expressando-o, poeticamente, através do seu minucioso olhar. Autor do Livro Enquanto a solidão me abraça https://caravanagrupoeditorial.com.br/

Diga-nos o que achou do post: