Secretaria de Saúde do Estado de Minas Gerais (SES-MG) revela queda nas internações e óbitos de idosos com mais de 70 anos após imunização

 

Dados divulgados pela equipe técnica da Secretária de Saúde do Estado de Minas Gerais (SES-MG),  mostrou nos últimos dias a queda na proporção de internações e óbitos pela Covid-19 entre as pessoas com mais de 70 anos, após os três meses do início da imunização.  De acordo com a pesquisa, na segunda quinzena de janeiro deste ano, 25,1% dos óbitos registrados no Estado, ocorreram entre pessoas na faixa etária de 80 a 89 anos. Em abril, na segunda quinzena, a queda registrada do total de mortes foi de 9,9%.  Entre as pessoas acima de 90 anos, ocorreu uma queda de 8,6% do total de óbitos.

Nos idosos na faixa etária de 70 a 79 anos, no mês de janeiro  em que o percentual dos óbitos era de 29,5%,  a queda no mês de abril foi  para 27,4%.

Estas mudanças ocorreram também nas internações de idosos com mais de 70 anos, que precisaram de UTI no Estado. Segundo a  coordenadora da Sala de Situação e do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs-MG) da SES-MG, Eva Lídia Medeiros, na segunda quinzena de janeiro, 14,8% das internações em UTI por Covid-19, foram de pacientes na faixa etária de 80 a 89 anos.

Em abril, a queda deste percentual foi de 6,9%.  Nos idosos de 70 a 79 anos, o percentual nas internações  em UTI era de 20,6%, em janeiro. Em abril 15,9%.   Nas pessoas acima de 90 anos, 5,1% ficaram em leitos de UTI  em janeiro. No mês de abril apenas 1,7% precisaram ficar internadas em UTI.

Para muitos especialistas, a imunização permite a proteção sanitária de toda  população. Os  estudos científicos já divulgados comprovam que após a segunda dose a imunidade total é alcançada.

Com  isso , o que se observa é o aumento de internações e óbitos das pessoas da faixa etária de 20 a 69 anos por Covid-19.  Os dados da SES-MG, revelou que um dos motivos desta mudança de público foi a vacinação de grupos acima de 80 anos.

O agravamento da doença no país e o surgimento de novas variantes compartilhado pela circulação de pessoas influencia também nas internações e óbitos.

Fonte: Agência Minas/ Secretaria de Estado e Saúde (SES-MG)



Jornalista profissional pela Universidade Estácio de Sá - BH. Trabalhou com análise de Mídia e Monitoramento e Produção de Clipping de Noticias na empresa Idéia Fixa - Gestão da Informação.

Diga-nos o que achou do post: