Se o comunismo fosse bom os defensores se levariam a sério.

“Os lideres ditos comunistas não representam o comunismo de verdade” é isso que em muitos debates se falam quando se toca em assuntos delicados como os assassinatos em massa e principalmente aos fracassos desses governos. Stalin, Pol Pot, Mao, nenhum deles foi um comunista, Fidel Castro tentou em Cuba, mas depois foi levado pelo imperialismo, Tito aposto que não sabe quem era, Chavez até três anos antes de sair do poder era um exemplo para onze em cada dez comunistas e Alexis Tsipras não cogita nem ser rotulado como comunista.

Muito além de afirmarem isso eles têm a audácia de dizer que o Karl Marx é um “falso comunista” e ainda sim usam frases como essas e suas variáveis em todos os lugares como mídias sociais e debates públicos.

Todos os citados acabaram por deturpar as ideias de Marx, o grande desafio é encontrar alguém que defende o comunismo que viva como um comunista pleno.

Grande problema de levarmos essas frases a sério jamais vamos saber o que é um comunismo e socialismo real, quando em debates é colocada essa pergunta direta podemos obter respostas como “Socialismo de verdade é ser a favor do povo”, “socialismo de verdade é ser contra a opressão”, “O socialismo é a favor da igualdade em sociedade” e até mesmo “O socialismo de verdade é ser contra o imperialismo capitalista”, tudo isso é tão útil para entender o que é comunismo como um fósforo usado.

O que é realmente inapagável é que eles vivem em uma contradição eterna, se por um lado eles afirmam que vão eliminar a exploração do proletário, a opressão e a desigualdade, por outro lado, a maneira da qual eles querem impor tudo isso é dando os poderes para um Estado, parece até uma ironia de incultos, mas a maneira que eles querem para acabar com isso é dando a instituição culpada o poder de forma absoluta, essa mesma instituição que explora, gera toda a desigualdade e oprime a população.

O Estado sempre foi visto como uma elite burguesa, a exploração que sempre impediu aos proletários de serem donos dos meios de produção vinha do estado, que as mantinha vivas. Karl Marx dizia que o estado desapareceria sob o comunismo, mas nunca em nenhuma de suas obras explicou como isso ocorreria, além da teoria ser bizarra e por fim só quando o estado fosse destruído todos seriam felizes.

Totalmente sem sentido tudo isso né? Mas pensa assim, se o estado dominar todas as propriedades particulares, inclusive os seus pensamentos e corpos, então seremos verdadeiramente livres, pois não teremos mais a noção de liberdade, afinal, quando não se tem nenhuma noção disso é o que te fará sentir livre.

O estado máximo é defendido hoje pelos comunistas, indo contra a abolição do estado como defendiam os antigos comunistas, o que isso significa? Eles se tornaram estadistas, no fundo, os novos privilegiados, traindo por completo seus valores e defendendo a supremacia da ordem estabelecida.

Por mais incrível que seja a única formal plausível de defender o comunismo é tendo como pressuposto o liberalismo, ou seja, comunista coerente se torna um paradoxo. Podemos questionar eles com três questões, que são:

Como incentivar a partilha dos bens defendendo imposto que acarretam a perda da metade da renda?

Como querem livrar os proletários da opressão sofrida se acabam por criar as dificuldades para que arrumem empregos melhores?

Em relação aos mesmos proletários como querem que enriqueçam se não podem empreender livremente sem ter burocracias e regulamentações onerosas?

Sem as ideia liberais ninguém consegue defender o comunismo.

O problema é que estes comunistas se tornaram verdadeiros estadistas, se tivessem um pingo de preocupação com os pobres eles recorreriam às ideias econômicas liberais, mas isso não acontece pelo fato de que fazem parte da burguesia e que vivem no aparato estatal, preferem ser demagogos sem oferecer qualquer solução pratica, tudo isso além de ferir todo o “espírito” comunista, isso acaba por não passa de uma contradição tremenda.

Mas qual a solução deles para tudo isso? Os políticos que são membros de partidos comunistas “doam” parte de seus salários para o partido e não para os pobres, possuem um patrimônio invejável, mas nunca se ouviu historias deles aceitando que pessoas comuns dormirem em suas casas em momentos de dificuldades e sendo acolhidos para ter um banquete com eles.

Por ironia há sindicalistas que nunca colocaram os pés dentro de uma fabrica ou jamais tiveram de trabalhar pesado para ganhar seu sustento, há ainda os sindicalistas que vivem de mobilização para manifestações para mais estado, sendo totalmente leigos em relação ao aumento de impostos e suas consequências negativas sobre a economia.

Eu te desafio hoje a encontrar alguém que defenda essas ideias viverem de acordo com o que dizem, isso talvez isso seja impossível pelo fato de que não passam de interesseiros e demagogo.



Paranaense, Estudante de ciências econômicas e historia, formado em Logística e MBA em gestão de projetos. Leitor assíduo de filosofia e politica.

Diga-nos o que achou do post: