Saúde mental na pandemia – Quando pedir ajuda?

Quem nunca se sentiu triste? Um desânimo ou falta de motivação? Às vezes um aperto no peito, uma vontade de ficar sozinho ou chorar?

Todos nós nos sentimos tristes às vezes, seja em momentos de perdas, frustrações ou até mesmo sem um motivo aparente. Mas sentir tristeza não é sinônimo de depressão. Entretanto, se o humor diminuído e o desânimo se tornarem persistentes ao longo de vários dias, podemos estar diante de um quadro diferente.

A Depressão é uma doença bastante estudada que afeta não somente nosso humor, mas também vários sistemas biológicos do nosso corpo, como o nível de energia, o ritmo de sono e apetite, a maneira como raciocinamos e tomamos decisões e, até, nossa própria capacidade de sentirmos prazer com as coisas importantes de nossas vidas.
Não é frescura, falta de força de vontade e, na maioria das vezes, a pessoa deprimida não consegue sair dessa situação sem ajuda.
É uma doença muito debilitante que afeta a nossa capacidade de trabalhar e lidar com os desafios do dia a dia. Trata-se da segunda maior causa de perda de capacidade para o trabalho, ficando atrás somente das doenças cardíacas.

Mas afinal, como saber quais reações são normais em um momento anormal como este de pandemia? Mais importante ainda, como saber se devo buscar ajuda profissional?

Episódios de ansiedade, pânico e tristeza – quando ocorrem isoladamente – são algumas das reações esperadas nesse atual cenário, e isso não indica necessariamente a presença de um transtorno mental.
A ansiedade é uma resposta normal do nosso organismo, mas não é normal ficar o tempo todo preocupado.

É importante cuidar da sua saúde física e mental diariamente, para que não atinja níveis excessivos, para que você possa manter o estresse sob controle.
Muitas pessoas estão tendo o sono interrompido, e isso é de se esperar. As pessoas experimentam sono profundo apenas quando se sentem seguras. Mas se você não consegue dormir, se os pesadelos o dominam, ou se você acorda com ataques de pânico, pode precisar de ajuda profissional.
O estresse de uma pandemia também pode levar à agorafobia, um distúrbio de ansiedade em que as pessoas evitam lugares e situações que as assustem. Elas não querem passear com o cachorro ou sair para qualquer outro lugar, por exemplo.

Algumas pessoas também podem experimentar mudanças no apetite, concentração ou humor. Todos esses sinais são um alerta de que você deve procurar ajuda profissional.
Pessoas que têm condições de saúde mental existentes, como ansiedade, depressão ou uso de substâncias, devem continuar seguindo seus planos de tratamento. Elas devem entrar em contato com seu médico se perceberem que seus sintomas estão se tornando mais significativos.
Se a pessoa tiver experiências anteriores de trauma, tristeza ou perda, sentimentos traumáticos podem ressurgir. Momentos de estresse intensivo em crises podem trazer à tona dores passadas pelas quais muitas vezes pensamos ter superado. E não esperamos por isso.

Nossas emoções funcionam como um alarme para nos sinalizar algo importante, tente interpretar estes sinais ao invés de silenciá-los e busque ajuda profissional sempre que sentir que o peso dos seus problemas está além da conta.



É graduando em Psicologia e Pesquisador no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo (IPq-HCFMUSP), onde atua no Prgrama de Transtornos do Espectro Autista (PROTEA), além de Bombeiro Profissional Civil.

Diga-nos o que achou do post: