Respiração

Respiração

Por algum motivo, tudo me sufoca
E não sei dizer bem ao certo
Só me sinto sem ar.

Abro a janela do quarto
Respiro...
E me sinto um pouco melhor.

Por algum motivo me falta o ar
Durante a madrugada…
Preciso continuar a respirar.

É madrugada e me sinto sem ar
Percebo o quanto é essencial
Como sinto a sua ausência.

Respirando
Da janela do quarto, respirando…
Pulmões plenos de ar Sei da sua importância e sigo respirando.

Carlos de Campos



Carlos de Campos nasceu em 1980 em Biritiba Mirim, São Paulo. Apaixonado por Poetrix. Em 2017, começou a escrever seus versos nas redes sociais, expressando-se de maneira profunda, em reflexões e observações sobre a condição humana, entre outras; analisando sua organização, atuação e intempéries emocionais, de forma leve, porém, concisa e incisiva. Não se deixando condicionar por padrões, investigando, atentamente, os recônditos mais conflitantes da existência e expressando-o, poeticamente, através do seu minucioso olhar. Autor do Livro Enquanto a solidão me abraça https://caravanagrupoeditorial.com.br/

Diga-nos o que achou do post: