Quem sabe faz a hora, não espera acontecer

Como seres pensantes dotados de inúmeras faculdades inteligíveis, temos decepcionado a criação com tanta passividade sem propósito definido ou razão que justifique essa inércia.


A falta de coragem, a proatividade necessária que não starta, a ingerência das emoções, a incredulidade na própria capacidade tem alienado nosso campo de realizações o que permite a força bruta, instintiva e cruel dos pseudos governantes como minoria, assistirem de camarote a auto extinção de uma maioria.


Já extraímos lição demais com a opressão sofrida ao longo dos últimos anos, já não tem mais para onde descer nesse poço de injustiças, a paciência e a tolerância foram engolidas pelo esmagamento contra a condição mínima para uma vida medianamente digna.


Até quando estaremos cantando ? “ Ê, ô ô vida de gado, povo maltratado ê, povo infeliz”.


Como afirmou, Étienne de La Boétie, humanista e filósofo francês, “todo poder só se torna grande porque o povo está de joelhos”.


Seremos um povo mais respeitado quando com inteligência soubermos protestar. Protestar sem prejudicar o semelhante, sem agredir o meio ambiente, sem promover a violência, sem gritos e manifestações insanas.


Para vencer o inimigo não precisa tirar nada dele, basta não dar o que ele precisa. De que vale a força ? se a sabedoria lhe serve. Porém é fato que algum novo cenário está sinalizando o surgimento em um espetro maior que se consuma com a velha máxima conhecida: “O mau por si se destrói”. Já assistimos com uma certa frequência os poderosos se atacarem veementemente, prisões, indiciamentos, acusações, agressões físicas, crimes em larga escala, é como um vulcão na logística reversa, uma implosão que em algum determinado momento da história, vai enfraquecer o que hoje chamamos de “poder”. Enquanto isso, vamos nos instruirmos, pois conhecimento é a maior arma contra o sistema. Fazer parte de uma maioria só é louvável quando essa maioria pensa e age com inteligência e sabedoria, caso contrário assumiremos o eterno papel de “admirável gado bobo”.


O perigo não está nos maus, mas na omissão dos bons, pois é pela passividade dos bons que o mau se prolifera.


BRASILEIRO, SEU MAIOR INIMIGO É VOCÊ MESMO.


Nós, brasileiros comuns, será que ainda precisamos de um choque de realidade ainda maior ? Somos testados a todo instante para saber até onde vai o limite de nosso sofrimento, e o mais estarrecedor é que por não perceber, acabamos passivos como forma de aceitação. Porém como nos ensina San Tzu em a arte da guerra, “nunca acue o inimigo até seu último minuto de vida, pois é na última instância que ele encontra a força de um exército e vence a batalha” .


Inteligência e sabedoria são inimigas quando a razão não predomina em ambas.


Coragem, vontade, todo fim é determinado pela crença que nutrimos, porém é necessário não permitir que a fração se sobreponha ao todo, pois quem sabe faz a hora, não espera acontecer.



Mercadólogo, consultor comercial, teólogo, coach, psicanalista.

Diga-nos o que achou do post: