QUANTA HISTÓRIA CONTA A FOTOGRAFIA

Desde os tempos mais antigos o homem registra em imagens sua história, os acontecimentos ao redor e sua evolução, veja que os homens das cavernas, como provam as pinturas rupestres, se comunicavam entre eles fazendo desenhos, que talvez mostrassem onde havia caça abundante ou perigos, portanto, lugares a serem evitados ou que pudessem trazer sustento para eles, isso não saberemos o que diziam aqueles desenhos, mas ali tinha uma comunicação que naquele momento era entendida.

Mais tarde o homem começou a pintar em telas o que estava a sua volta, pintava paisagens, casas, animais e tudo o mais que existisse para guardar como recordação ou mostrar suas posses aos amigos e à sociedade. Logo mais começaram a ser pintados os retratos de personalidades, para a “eternidade”, pois essas pessoas tinham recursos financeiros para bancar uma obra desse porte, e o pintor teria que receber pelo serviço que poucos tinham dinheiro para tanto. Como tudo a pintura foi se popularizando e mais pessoas conseguiam ser retratadas em tela. Até que surgiu a fotografia, cujo primeiro registro data de 1826, tirada na França por Joseph Nicéphore Niépice, a partir daí muito aconteceu até que a fotografia foi se popularizando e chegou aos nossos smartphones.

Da primeira foto até as fotos atuais, tiradas através dos telefones celulares, muitas imagens foram feitas e muita história foi contada por fotógrafos profissionais e amadores nesses quase dois séculos de existência registrada. Reis, personalidades da sociedade, imperadores, escravos, operários e obras grandiosas foram registradas. Dentre tantas outras coisas que ficaram gravadas em papel fotográfico para ajudarem a contar a história do mundo, de uma região específica ou de um país. Através das fotos temos contato direto com os costumes de épocas passadas, com a evolução social e econômica de uma região, com a história de nossa existência e das épocas vividas por cada geração.

A fotografia nos leva a entender como o mundo evolui, como os modos mudam de uma época a outra e como se desenvolvem as sociedades. As fotografias, sejam elas impressas ou no formato digital atualmente dizem muito do que somos, fomos e, por que não?, do que seremos no futuro. Uma foto contém muitas respostas, mas também muitas dúvidas e muito aprendizado que pode ser importante para o nosso futuro, para que erros não sejam cometidos novamente e os acertos possam gerar frutos e evoluir com o passar do tempo. Fotos contam histórias sobre o tempo, sobre pessoas, coisas e costumes, dentro de um álbum estão épocas e gerações inteiras. Uma imagem nos leva a sonhar, a planejar, a mudar atitudes, a crescer como pessoas e sermos cada vez melhores. Imagens também nos trazem recordações de acontecimentos importantes, pessoas que amamos e sobre nosso crescimento.

Para contarmos uma história do passado podemos nos basear em relatos feitos por historiadores, escritores da época desejada e por imagens que por acaso tenham, elas nos mostram tudo o que queremos saber sobre um período determinado. A fotografia tem importância crucial para nossa história nesse sentido, sem ela ainda estaríamos presos a relatos feitos por viajantes, como foram passadas as primeiras impressões do Brasil ao rei de Portugal, que só depois de algum tempo recebeu retratos feitos por pintores, onde podiam ver toda exuberância desse lugar recém-descoberto além-mar.

Hoje a fotografia ultrapassou esses conceitos e serve para mostrar a vida das pessoas em tempo “real”, uma foto hoje tirada em qualquer lugar do planeta que tenha internet, em segundos roda o mundo e chega a muitas pessoas via redes sociais. Ela mostra a vida acontecendo naquele exato momento, onde estamos, com quem estamos e o que estamos fazendo. Nada mais está escondido, minto, só o que não queremos mostrar, isso se pensarmos apenas nas fotos e deixarmos de lado os vídeos que hoje dominam as redes sociais. Mas sendo esse texto sobre fotografia, deixemos os vídeos para outro momento, sem esquecer que vídeos são fotos em movimento, eu acho.

O que nossas fotos digitais dirão para as pessoas nos próximos séculos? O que contarão nossas fotos publicadas em redes sociais? O que estamos deixando como documentos de nossa existência no Século XXI? Será que um observador lá do futuro vai conseguir decifrar nossos sentimentos nas imagens? Não sabemos, espero que sim e que elas contem histórias boas para as próximas gerações, isso se não se perderem pelas nuvens da vida digital, não forem apagadas por algum motivo pensado ou não e, assim, não conseguirem sobreviver à tanta tecnologia que ainda está por vir, quem sabe disso são os cientistas que estão trabalhando nas novas máquinas que estão chegando, são as pessoas responsáveis pelos enormes arquivos da internet, eles poderão ter um belíssimo documento de nossa produção atual para as próximas gerações que poderão conhecer os nossos costumes, nosso modo de viver e como tem sido o Século XXI, segundo nossa visão, que me decepcionou um pouco, eu esperava mais dele, mas estamos ainda vivendo seu vigésimo segundo ano e muita coisa ainda está por vir nesse século em que os filmes e livros de ficção científica mostravam carros voando, androides fazendo o trabalho pesado em substituição aos homens e o Grande Irmão vigiando e decidindo tudo o que faríamos, algumas dessa coisas acontecem, mas não ainda da forma como foram contadas, é aguardar para ver, espero…

As fotos perpetuam momentos, são fonte de inspiração, mostram fases, expressam o que somos ou o que queremos ser ou até o que queremos que os outros pensem que somos. Assim também foi no passado, quando pessoas fotografadas em poses arranjadas, combinadas com o fotógrafo, seja para esconder algum defeito físico, ou mostrar em detalhe algum adereço importante e caro que evidenciassem aos outros suas conquistas e poder, mesmo que somente ali no seu núcleo. Nesse sentido pouco mudou, pois as redes sociais são o paraíso das pessoas felizes, bem-sucedidas e sem problemas, muitas dessas pessoas esquecem do mundo real e ficam ali mergulhadas na vida digital idealizada, escondendo sua vida real, dura e cheia de desafios que é a vida como ela é de verdade, pois é mais fácil ser o que todo mundo quer que você seja e não o que é verdadeiramente.

Cuidado com as suas imagens que vão ficar, é claro que ninguém precisa expor as mazelas pelas quais passam, mas ao deixar um registro do seu tempo tente ser o mais próximo de sua realidade possível, pois, caso contrário, nossa geração será vista como uma gente vazia, bêbada e infeliz pelas próximas gerações, e a felicidade está no conjunto de coisas que nos acontecem, sejam elas boas ou ruins, vida real.



Formado em Letras e pós-graduado em Marketing, membro convidado da Academia de Letras da Manchester Mineira. Com formação em Coaching, atua como treinador de vendedores e Palestrante Motivacional. Poeta, contista, cronista e articulista. Três vezes finalista do prêmio Top Blog, na categoria Política e colaborador no jornal Tribuna de Minas. Participação no projeto "Poesia na Escola" como autor de destaque na edição de 2022, você pode baixar o e-book do projeto acessando o link: https://online.fliphtml5.com/dozlr/ajdc/ Autor de dois livros "Conselhos Diários. Você Não Tem Limites!" e "Você Pode Mudar!", onde fala sobre aspectos de carreira e liderança. Você pode comprar no site: https://bio.uiclap.com/celsociampi

Diga-nos o que achou do post: