Quando saber a hora de internar um dependente químico

Na maioria das vezes, as tentativas de ajudar o dependente químico a sair da situação que se encontra por si própria é insuficiente, e as famílias acabam tomando a drástica decisão de internar seu ente querido em uma clínica de reabilitação.

 

A dependência química é considerada uma doença, que às vezes se agrava tanto, fazendo que o usuário de drogas não reconheça precisa de ajuda e que as drogas não lhe fazem bem.

 

Por isso, é uma tarefa muito difícil a ser realizada, pois já que o próprio usuário não reconhece que precisa de ajuda, ele não aceitará nenhum tipo de ajuda.

 

Portanto, é preciso ter paciência e tentar estabelecer uma conversa com o usuário. Ter empatia, ouvir o que a pessoa tem a dizer, entender o lado dela e não julgá-la são fatores essenciais para uma boa conversa com o usuário de drogas.

 

Não trate o usuário de drogas como um problema, pois não é isso que ele é, e se você fizer ele pensar que é um peso, um fardo, só piorar as coisas e fazer que ele recaia ainda mais nas drogas. O dependente químico não é um problema, e sim uma pessoa com sérios problemas e precisa de ajuda, pois sozinha não vai conseguir sair de sua situação.

 

Como agir ao descobrir um dependente químico na família

Primeiro mantenha calma, nervosismo nunca ajudou em nada! Depois, chame a pessoa para uma conversa e pergunte a ela o porquê disso tudo, se ela reconhece o uso de drogas como um problema e se ela aceita ajuda. 

 

Serão tempos muito difíceis, pois os usuários terão recaídas, vão mentir muito para as pessoas que estão tentando lhe ajudar, e isso vai resultar em um desgaste muito grande de toda sua família.

 

Mesmo com todos esses problemas, brigas e discussões devem ser evitadas. Em momentos de raiva, não coloque para fora, busque tomar um copo de água e se acalmar.

 

Se a família toda julgar que a ajuda não está sendo necessária, a melhor decisão a ser tomada é optar pela internação involuntária, que é quando o paciente é internado sem seu consentimento e só recebe alta a partir de um laudo médico ou decisão de sua família.

 

Nunca abandone seu familiar na clínica, faça frequentes visitas, leve seus amigos junto, leve livros, presentes e converse bastante sobre coisas aleatórias com o dependente químico.

 

Uma clínica de reabilitação deve possuir bons protocolos de tratamento, licenciamento para atuar, tratar os pacientes bem, tratamento terapêutico e médico, e muito mais. A clínica reabilitando vidas possui profissionais capacitados e especializados para lidar com pacientes dependentes químicos, também conta com ambientes arborizados, ventilados, piscina para os dias de calor, e muito mais coisas a oferecer, tudo pensado no bem estar dos pacientes.

 

Mas falando em clínica, quando saber a hora de internar um dependente químico e como fazer isso? Vamos falar sobre isso agora!

 

Quando saber a hora de internar um dependente químico

Geralmente, o dependente químico é internado quando começa a oferecer risco a sua própria vida ou a vida das pessoas ao seu redor. 

 

Quando ele se torna violento e passa a viver pelo uso de drogas, vendendo seus itens para comprar mais drogas, mudando sua rotina, como passando dias fora de casa, comendo em horários distintos, não cuidando de sua aparência e higiene pessoal, quando passa a mentir demais para ficar atrás das drogas ou até cometer crimes como roubos para conseguir comprar droga.

 

Quando o dependente químico passa dias fora de casa e aparece apenas para pedir dinheiro e comer, muitas vezes nem tomando banho, pois realmente estão vivendo em função da droga! Nesse caso a família deve buscar a internação de forma urgente antes que seja tarde.

 

O dependente químico não vai concordar e provavelmente causará grande alvoroço, ficando agressivo e relutando para não ser internado.

 

Mas no final, tudo isso será melhor para ele mesmo, as medidas são drásticas sim, mas sempre pensando no bem da pessoa, pois os cuidados em sua própria casa já não são mais suficientes.

 

Essa é uma situação muito triste, porém infelizmente o uso de drogas é real e afeta principalmente os jovens. 

 



Diga-nos o que achou do post: