Pra terminar uma relação

Por que é tão difícil terminar algumas relações? Muitas vezes é devido a algo chamado “apego”. Quando olhamos em algum dicionário, descobrimos que “apego” pode ser definido como uma “ligação afetuosa; afeição; estima” *. Se temos uma ligação de afeto, é mesmo necessário ter força para cortar essa ligação, e uma forma é substituindo o afeto por outro sentimento.

Se essa ligação tem afeto, mas também tem medo e sofrimento é preciso substituir por amor-próprio. Quando você faz isso, a ligação é cortada naturalmente. (Claro que esse “naturalmente” não quer dizer “facilmente”). Porque ao focar no amor-próprio essa relação perde o sentido e temos força para cortá-la e se afastar. Não é fácil porque temos memórias das coisas boas dessa relação (parece que as negativas ficam bem pequenas…). Mas viver é ter coragem pra seguir em frente em busca de nossa felicidade. Sendo assim, viver no medo e no sofrimento não é uma opção.

Agora se a ligação tem afeto, admiração, mas nos prejudica de alguma forma ou já não nos acrescenta nada, também é preciso substituir esse afeto por maturidade. A maturidade nos ensina que muitas coisas na vida tem prazo de validade (já dizia minha antiga terapeuta) e, sendo assim, precisamos fechar um ciclo para que novos sejam abertos. Isso também não é fácil, mas o que de bom na vida é fácil? Novamente somos exigidos a ter coragem para sair do comodismo e mudar algumas posturas e atitudes já que seguir em frente é abrir portas e janelas para o novo.

Em ambos os casos, podemos manter uma relação por gratidão ou por se sentir em dívida com o outro. No entanto, vamos ser sinceros? Essa não pode ser a base para se manter uma relação. Ficar em uma relação “vencida”, pode acabar com toda a gratidão e admiração que temos pelo outro. Começamos a enxergar só seus defeitos. Se nos sentimos em dívida, como pagar algo se não estivermos inteiros na união? Vamos ficar devendo um pouco mais a cada dia. Afastar-se e permitir a si mesmo e ao outro ter novas relações é a atitude mais saudável, além de ser a única forma de manter o brilho do que foi bom.

O dicionário também nos diz que “apego” pode ser “dedicação constante e excessiva a algo”. Pra perceber se estamos apegados a algo de forma excessiva é só nos afastarmos um pouco dos sentimentos e tentar racionalizar a relação. Sinceramente, só você se dedica a ela? Constantemente você acha que deve mudar algo na relação? Esses são sinais verdes para encerrar esse vínculo. Qualquer relação, seja de amor, amizade ou mesmo profissional, deve haver empenho em mantê-la dos dois lados. Se você sente que falta afeição ou conexão do outro lado, busque a mudança. Não tenha medo de mudar. Até porque se você estiver errado, novas conexões poderão ser feitas com a mesma pessoa (e o término pode mostrar facetas do outro que só descobrimos mesmo durante uma separação). Mas isso já é assunto para um novo texto.

* Famoso novo dicionário “Google”.



Carioca apaixonada pelo mar e pelas montanhas, hoje vive em Belo Horizonte e é mineira de coração. Ama livros, literatura, cinema e música. Vive uma busca constante em aprender e explorar o mundo, mas cada vez mais se volta para o autoconhecimento e a autocura. Escreve desde sempre: crônicas, resenhas, artigos literários e artigos diversos. Já foi revisora de livros e professora. Agora dedica-se a ler e escrever.

Diga-nos o que achou do post: