Policial toca seio de mulher após abordagem por toque de recolher. Assédio? Vejam o vídeo.

Nesta quinta-feira (4), uma família registrou um boletim de ocorrência em São João de Boa Vista (SP), questionando a imobilização e punição de um homem por conta do toque de recolher decretado pelo governador do estado de São Paulo. O fato ocorreu por voltas das 0Hs no bairro São Nicolau , e foi registrado por um celular.

Segundo a versão da família, o homem voltava para casa após fazer uma entrega de delivery de salgado e refrigerante, retornando por volta de 21h30 quando foi abordado pelos fiscais da Prefeitura na porta da sua casa, que é também um ponto comercial. Após a abordagem, os policiais foram até a casa da vítima para pegar os documentos de identificação e foi aí que a confusão começou…

Nas imagens registradas por um celular, é possível ver a forma como uma mulher (esposa do averiguado), foi contida, “apalpada” e violentada por mais de hum policial, inclusive com tapa na cara.

Segundo a esposa do homem averiguado, os policiais ameaçaram de também lhe aplicar uma multa, e por este motivo se revoltou, por se encontrar em casa e não estar em nenhuma contraversão penal.

Segundo nota da Polícia Militar, eles foram averiguar uma denúncia de aglomeração de pessoas, por volta das 00h00, nas proximidades de um distribuidor de bebidas (loja de conveniência), pelo bairro D.E.R. Constatada a veracidade da denúncia foi solicitada a identificação de uma das pessoas alí presentes para sua qualificação e autuação, conforme o decreto. Houve negação e desobediência, havendo ainda ameaça à integridade física dos agentes da vigilância e dos policiais militares. Por este fato, conseqüente da autuação, foi dada voz de prisão, havendo também resistência e tentativa de arrebatamento do detido por parte de uma mulher, que também investiu contra a ação dos policiais militares.

É fato que a sociedade apoia a ação da polícia quando há qualquer tipo de contravenção, porém, o que é questionado neste caso, não é somente a ameaça a alguém que não se enquadra na contravenção, mas também, a forma da abordagem e ação de contenção. São quatro policiais ‘masculinos’ para conter uma mulher.

Se o homem acusado estiver infringindo a lei, que seja punido, afinal, vivemos momentos críticos da saúde mundial, mas os direitos individuais devem ser preservados sempre.

O art. 249, por sua vez, prevê que a busca em mulher será feita por outra mulher, se não importar retardamento ou prejuízo da diligência, ou seja, a busca em mulheres poderá ser realizada por policiais masculinos desde que justificada e haja fundada suspeita, e a ausência na diligência uma policial feminina. Porém, nestes casos, acredito que haja necessidade de uma reformulação no PL (projeto de lei), obrigando que em cada equipe, ou viatura policial, haja a presença de uma mulher. Desta forma, não só garantimos os direitos individuais, como a igualdade profissional entre os gêneros, tendo em vista que as mulheres possuem as mesmas capacidades que os homens.

Por mais que não tenha sido a intenção do policial, nitidamente o policial toca o seio da mulher, é importante observarmos os direitos das mulheres e evitarmos o assédio sexual, esta prevista em lei. Infelizmente, as mulheres sofrem isso em todos os setores da sociedade e se acontecer em setores que deveriam lhe proteger… É o fim… Por este motivo, acredito que seja hora dos nossos representantes do legislativo aperfeiçoarem as leis, garantirem que as mulheres não seja violadas em nenhuma instância da sociedade.

Além de tudo, nada justifica um tapa no rosto da mulher… Sem armas, indefesa. Em um simples exercício de empatia, é possível perceber a fragilidade da polícia e falta de profissional qualificada para conter uma mulher em estado de excitação movida pelo estresse da situação.

Acompanhe abaixo matéria publicada pelo jornal São João News  e tire suas conclusões sobre o que  aconteceu .

 


 



Brasileiro, natural de São Paulo - SP, Jornalista, Empreendedor, Administrador de Empresas, Técnico em Informática, WebDesigner, Designer Gráfico e Fotógrafo. Amante da natureza, boa literatura, boa música e conservador nos costumes.

Diga-nos o que achou do post: