Polícia Civil prende chinês por manter funcionários em situação análoga à escravidão

No local, trabalhavam sete chineses em situação ilegal no país

A Polícia Civil prendeu um chinês, de 36 anos, suspeito de manter sete funcionários em situação de trabalho análoga à escravidão. O flagrante aconteceu, na tarde de quinta-feira (7), no bairro Tatuapé, zona leste de São Paulo. As vítimas foram trazidas ilegalmente da China.

Agentes do 30º Distrito Policial (Tatuapé) receberam uma denúncia anônima indicando um galpão onde funcionava uma marcenaria clandestina, na Rua Ivai. No local, a entrada foi franqueada pelas vítimas. Os sete contaram que foram trazidos ilegalmente de seu país para trabalhar.

As vítimas não recebiam salário e tiveram seus documentos retidos pelo proprietário do imóvel, além de serem proibidos de deixar o galpão, onde estavam há cerca de um ano, trabalhando em jornada ininterrupta. O imóvel apresentava péssimas condições de higiene e limpeza.

O proprietário foi localizado em sua residência, no mesmo bairro, e levado à delegacia para posterior encaminhamento à audiência de custódia. Foi solicitada perícia ao local e determinada a comunicação ao Consulado da República Popular da China e à Polícia Federal.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa SSP-SP



Diga-nos o que achou do post: