Polícia Civil detém 35 durante operação para combater o tráfico de drogas

Denominada Linhas Cruzadas, a ação cumpriu diversos mandados de prisão com apoio da Polícia Militar e da GCM

A Polícia Civil prendeu 21 pessoas durante a operação “Linhas Cruzadas” realizada para cumprimento de ordens judiciais na Capital e em municípios da Grande São Paulo, nesta quinta-feira (29). Todas as prisões aconteceram por meio de mandados, sendo que 14 pessoas já estavam detidas em unidades prisionais.

A ação foi deflagrada por agentes da 6ª Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc) e contou ainda com apoio de equipes da Polícia Militar e da Guarda Civil Metropolitana (GCM).

“As diligências foram realizadas após cerca de oito meses de investigações para combater o tráfico de drogas. As apurações contaram, inclusive, com interceptações telefônicas”, explicou o delegado Carlos Batista, que coordenou os trabalhos pela 6ª Dise.

Durante a atuação, diversos documentos de relevância para a organização do grupo também foram apreendidos e serão analisados. “Parte das prisões foi feita na Cracolândia, em razão desse trabalho em conjunto das três instituições, proporcionando queda de venda de drogas, na parte criminal e, consequentemente, uma melhora social”, afirmou o delegado Alberto Pereira Matheus Junior, divisionário do Denarc.

Ainda de acordo com o delegado Alberto, dentre os presos está um dos integrantes da liderança da organização criminosa. “Ele foi identificado e preso, sendo que atuava como um “pendrive”, que é a denominação utilizada para o departamento pessoal da facção, responsável por coletar informações, manter os dados de participantes arquivados e transferi-los para a liderança”, detalhou.

Todos os materiais recolhidos ao longo da atuação serão analisados. A Polícia Civil prossegue com as investigações para identificar, localizar e prender outros integrantes da facção criminosa.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa SSP-SP



Diga-nos o que achou do post: