Pirâmide de Acidentes e as 5 regras de Ouro em instalações elétricas

Texto Original: https://www.linkedin.com/pulse/pir%C3%A2mede-de-acidentes-e-5-regras-ouro-em-instala%C3%A7%C3%B5es-frank-toshioka/

Definições:

A Pirâmide de acidentes auxilia o entendimento da relação entre acidentes e incidentes, elaborada através de dados estatísticos. Esta relação demonstra a importância da gestão buscar a conformidade por meio de procedimentos e práticas estabelecidas minimizando a probabilidade da ocorrência de incidentes (CERQUEIRA, 2012).

Conforme descrito na OHSAS (Occupational Health and Safety Assessment Series) 18001, pode-se considerar as seguintes definições:

Perigo: Fonte, situação ou ato com potencial para provocar danos humanos em termos de lesão ou doença, ou uma combinação destas.

Incidente: evento relacionado ao trabalho no qual uma lesão ou doença (independentemente da gravidade) ou fatalidade ocorreu ou poderia ter ocorrido.

Risco: Combinação da probabilidade de ocorrência de um evento perigoso ou exposição com a gravidade da lesão ou doença que pode ser causada pelo evento ou exposição.

Local de trabalho: qualquer local físico no qual atividades relacionadas ao trabalho são executas sob o controle da organização.

Quase acidente: um incidente no qual não ocorre lesão, doença ou fatalidade.

Acidente: incidente que resultou em lesão, doença ou fatalidade.

 

Quase Acidente:

Quase acidente

PIRÂMEDE DE HEINRICH (1931)

PIRÂMEDE DE HEINRICH (1931)

PIRÂMEDE DE BIRD(1966):

PIRÂMEDE DE BIRD(1966)

PIRÂMEDE DE BIRD(1969):

 

PIRÂMEDE DE BIRD(1969)

PIRÂMEDE DE DUPONT (Década de 1990):

PIRÂMEDE DE DUPONT (Década de 1990)

TRIÂNGULO DE DESVIOS:

TRIÂNGULO DE DESVIOS

5 regras de Ouro em instalações elétricas:

NR10 Item 10.5.1. Somente serão consideradas desenergizadas as instalações elétricas liberadas para trabalho, mediante os procedimentos apropriados, obedecida a sequência abaixo:

  • Seccionamento;
  • Impedimento de reenergização;
  • Constatação da ausência de tensão;
  • Instalação de aterramento temporário com equipotencialização dos condutores dos circuitos;
  • Proteção dos elementos energizados existentes na zona controlada;
  • Instalação da sinalização de impedimento de reenergização.

Bibliografia:

CERQUEIRA, J.P. Sistemas de gestão integrados: ISO 9001, ISO 14001, OHSAS

18001, SA 800 e NBR 16001, conceitos e aplicação. Editora Qualitymark, 2ª edição.

Rio de Janeiro, 2012.

FUDOLI, J. U. Guia de Estudo: Introdução à engenharia de segurança do

trabalho. Pitágoras Pós-Graduação. Fevereiro de 2013. Disponível em:

<http://academico.escolasatelite.net/system/application/materials/uploads/29/guiade-

estudos—conceituacao-e-classificacao—introducao-a-enga.-seg.-trabalho.pdf>.

Acesso em: 27 dez. 2021.

NAVARRO, A. F. O triângulo (pirâmide) dos acidentes do trabalho.2012.

Disponível em: <http://www.ebah.com.br/content/ABAAAfRFIAA/triangulo-piramidedos-

acidentes-trabalho/>. Acesso em: 27 dez. 2021.



Frank Toshioka é Mestre em Desenv. de Tecnologia, Engenheiro Eletricista e Cientista de Dados - Especialista em Medições SMF, ADMS, SCADA, Hemera CAS, Copel, SCDE CCEE, SAMUST ONS. Gerente de Projetos de P&D - temas Blockchain, GD e Eletromobilidade. Frank Toshioka é Mestre (Stricto Sensu) em Desenvolvimento em Tecnologia pelo Lactec (2017) - Dissertação: Previsão de preço semanal de energia elétrica com dados com limites de saturação através de redes neurais artificiais e Engenheiro Eletricista pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004). Também é Escritor com 3 livros já publicados. Atualmente é Engenheiro Eletricista da Copel Distribuição, tendo experiência nas seguintes áreas: 1) Mercado e Comercialização Copel Distribuição (01/06/2014 até a presente data) a) Gestão de migração de consumidores do Ambiente de Contratação Regulado (ACR) para o Ambiente de Contratação Livre (ACL) e Apuração da carga Copel Distribuição (base CCEE – Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) b) Gestão do processo MUST - Montante de Uso do Sistema de Transmissão junto ao ON; c) Representante da Copel Distribuição de vários processos da CCEE (Ajustes de medições de fronteira, modelagens, Topologia da carga da Copel Distribuição, Medição Física e Contábil). d) Automações de sistemas envolvendo Gestão de Ajustes de Medições e 2) Gerente de Projetos P&D ANEEL nos temas de Inteligência Artificial na Previsão de Preços de Energia, Gestão de Energia pelo lado da demanda na Mobilidade Elétrica e Marketplace Descentralizado para Comercialização de Energia Elétrica baseado em Blockchain.3) Manutenção dos Sistemas da Copel Distribuição: a) 01/06/2012 a 31/10/2013 - Manutenção de Redes de Distribuição Gerenciamento de manutenção preditiva, preventiva e corretiva de redes de distribuição aérea convencional e compacta; b) 01/11/2013 a 31/05/2014 - Supervisão de inspeção preventiva e preditiva de redes de distribuição aérea: Acompanhar o desempenho dos índices de controle e continuidade (DEC/FEC) da manutenção do sistema de distribuição da macrorregião de Maringá; 4) Projetos, Fiscalização de Obras da Copel Distribuição (12/08/11 a 31/05/2012) - Elaboração de Projetos de rede aérea convencional e compacta; Fiscalização de Projetos de rede aérea e subterrânea, obras de saídas de Subestações e obras de Subestações Móveis; Participação de grupos de trabalho envolvendo redes subterrâneas. 5) Outras atividades: Mentor de Modelo de Negócios junto a Startups; Conselheiro Suplente do Crea-PR - Câmara de Engenharia Elétrica desde 2019. Livros já publicados: em 10/06/19 - A produção do conhecimento na engenharia elétrica, da Atena Editora - Capítulo Sistema gestor de ajustes de medições de fronteira Copel Distribuição.

Diga-nos o que achou do post: