PENSO, LOGO EXISTO

PENSO, LOGO EXISTO – RENÉ DESCARTES

Conforme Descartes, depois de colocar tudo em dúvida, descobriu que a única coisa que teria uma existência certa, é o pensamento, pois é partindo deste que o restante das coisas se dão como existentes. Se algo existe, é porque o pensamento pensou a existência de algo, e sem o pensamento, esse algo não teria existência.

Supostamente, se existe uma dor, é por razão de que alguém que pensa, pensou nessa dor. Sentimos os efeitos da dor por pensarmos a dor, isto é, o beijo perfeito entre a quina de uma escada com uma canela, nos faz pensarmos os efeitos da dor. Associando a Fernando Pessoa, que dizia que teríamos que sentir a vida para poder pensá-la.

Ninguém pensaria o amor se não o sentisse de alguma forma, e ninguém poderia sentir se não o pensasse. O pensamento está ligado a sensação que temos do mundo, e dizemos o que sentimos, conforme interpretamos os sentimentos e pensamentos que temos.

Em suma, penso, logo existo, pode ser também, sinto, logo existo, pois supostamente, se alguém pensou algo é porque esse alguém algo sentiu, seja do mundo externo ou do seu mundo interno. Um problema seria que não nos apercebemos de tudo o que sentimos. Portanto, como se sabe, as interpretações estão mais para a pluralidade do que para a singularidade das coisas, todavia que todos sentimos e pensamos o mundo diferentemente uns dos outros. Desse modo, poderíamos tanto concordar quanto discordar de Descartes.

(26/04/2021)

Autor: Ícaro R Silva.

@icaro_rsilva

Canal no YouTube: https://youtube.com/channel/UCFq70uO9WslRggG-76dzDTA

#filosofia #literatura #descartes #reflexao #sertao #roça #ceara #ceará



Diga-nos o que achou do post: