Pardieiro Macro Usurpação Fetiche tendencioso De um cérebro atrofiado.

Pardieiro

Pardieiro 

Macro
Usurpação
Fetiche tendencioso
De um cérebro atrofiado.

Homem
Abocanhando
Reputações estremecidas
Apanágio da nova vida.

Jaula
Cabeçudo
Filho escrotal
Horizonte azul.

Presente
Mérito a sua bunda
Lamaçal em que se vive
Surtos de uma mente psicopata.

Carlos de Campos 

Confira também

O amor é quem tudo constrói
Inteiro, sigo meu viver, simples e complexo
De um processo doloroso a uma transformação libertadora


Para adquirir  o livro, acesse:

Enquanto a solidão me abraça


Carlos de Campos nasceu em 1980 em Biritiba Mirim, São Paulo. Apaixonado por Poetrix. Em 2017, começou a escrever seus versos nas redes sociais, expressando-se de maneira profunda, em reflexões e observações sobre a condição humana, entre outras; analisando sua organização, atuação e intempéries emocionais, de forma leve, porém, concisa e incisiva. Não se deixando condicionar por padrões, investigando, atentamente, os recônditos mais conflitantes da existência e expressando-o, poeticamente, através do seu minucioso olhar. Autor do Livro Enquanto a solidão me abraça https://caravanagrupoeditorial.com.br/

Diga-nos o que achou do post: