Paraguai em Ponto de Curva?

    A Seleção Paraguaia de futebol tem passado por maus bocados recentemente e não se classifica para a Copa do Mundo desde 2010. Entretanto, o momento atual dos seus clubes na Libertadores pode estar demonstrando um retorno aos bons tempos.

    Até a quarta rodada da competição, as equipes paraguaias lideram seus grupos: o Olimpia lidera o grupo C, com 8 pontos;, o Cerro Porteño no grupo E, tem 12 pontos; e o Libertad, no grupo H, também tem 12 pontos. Esta pontuação demonstra que todas as equipes estão invictas e duas delas com 100% de aproveitamento (casos de Cerro e Libertad).

    Cabe salientar ainda que o futebol brasileiro possui alguns jogadores paraguaios nos elencos dos seus clubes. Exemplos de destaque são: Gatito Fernandéz (goleiro do Botafogo), Raul Cáceres (lateral-direito do Vasco), Gustavo Goméz (zagueiro do Palmeiras), Piris da Motta (volante do Flamengo), Ángel Romero (atacante do Corinthians) e Derlis Gonzaléz (atacante do Santos). Fora o zagueiro Balbuena, que recentemente defendeu o Corinthians e atualmente defende o West Ham, na Inglaterra.

    O futebol paraguaio se destacou outrora por possuir um futebol técnico e aguerrido simultaneamente. No coração da zaga, atuava o Gamarra (com passagens por Corinthians e Flamengo) e, no comando de ataque, Roque Santa Cruz dominou a 9 da Seleção por longínquos tempos. Salienta-se ainda destaque recente do atacante habilidoso Salvador Cabañas, quando atuava pelo América-MÉX.

    Porém, após essa geração paraguaia ter envelhecido, a albirroja não foi reposta a altura e a equipe não esteve presente nas Copas disputadas no Brasil em 2014 e nem na Rússia em 2018.

    Contudo, ao se embasar no atual momento das equipes paraguaias que disputam a Libertadores, podemos notar uma melhora no futebol praticado no país, pois, a maioria dos atletas citados que atuam no futebol brasileiro são titulares em suas equipes e o disputam competições de alto nível. Essa experiência adquirida é levada para as disputas internacionais pela Seleção e, em breve, deve gerar bons frutos para os paraguaios, quiçá os levando a exercer bons papéis nas Copas Américas de 2019 (Brasil) e 2020 (Colômbia-Argentina), além da Copa do Mundo em 2022 (Catar).



Graduado em Administração na UFRRJ, Apaixonado por Futebol, Flamenguista por Opção, Geek por Natureza, Carioca de Nascimento, Amante de Livros, Cinéfilo, Curte Contar/Apreciar Boas Histórias e Experiências de Vida, Autor do livro "Veredas da Vida: Poéticos Conselhos" (Chiado Books), Sempre em Busca de Novos Objetivos.

Diga-nos o que achou do post: