OS DESAFIOS DE UMA PROFISSÃO.

Rio, 04/07/2022.

Escrito pelo colunista: Antonio Chaves.

 

OS DESAFIOS DE UMA PROFISSÃO.

 

Na minha opinião. “Mais vale um curso técnico, do que um diploma de faculdade na parede”.

O certo é que não existe uma fórmula mágica. Tomar decisões maduras, embasadas em autoconhecimento e pesquisa, é o melhor caminho. Um dos grandes dilemas para a maior parte dos jovens é a escolha da profissão. Definir uma carreira é uma decisão que vem carregada de temores e angústias. O medo de errar sugere pedir aconselhamentos para pais, irmãos, familiares e pessoas próximas.

As profissões ligadas aos setores de tecnologia da informação e internet dominam a lista. Os cargos relacionados à chegada da Indústria no mercado de trabalho e a incorporação da digitalização à atividade industrial resultou nesse conceito, em referência à quarta revolução industrial.

Enquanto algumas carreiras enfrentam dificuldades para se adaptarem a estas mudanças, outras são criadas para atenderem novas demandas. Diferentemente do que muitos pensam, elas podem coexistir e até trabalhar juntas para potencializar negócios digitais.

Os dados reforçam que o surgimento de novas profissões por meio da tecnologia, não implica necessariamente na extinção de outras que não possuem apelo tecnológico. É claro que algumas carreiras são totalmente remodeladas, alterando seu escopo e suas funções.

O segredo é saber trabalhar com essas diferentes visões dentro do ambiente corporativo, extraindo o que cada um tem a oferecer de melhor para o sucesso e promovendo uma integração ainda maior entre todos os colaboradores.

Acredita-se que algumas ocupações terão uma diminuição drástica nos próximos anos, principalmente relacionada com duas grandes tendências evidentes no mercado. A tecnológica, na qual aumenta a robotização, e a outra é a Econômica, que impulsiona a mudança de carreira ao longo das gerações. A tendência é uma diminuição, porque hoje em dia, elas têm uma condição financeira melhor. Algumas atividades que em um período de médio e longo prazo, devem ter uma redução significativa e acreditando que em um curto espaço de tempo, vão estar desaparecendo outros cargos devido à inclusão da robotização e da tecnologia. Tudo o que é operacional, a tendência é que seja substituído por tecnologia. (Namastê).

 

Mensagem do dia: Acredite em você, trabalhe com empenho e dedique-se aos seus sonhos. Estas são as regras da prosperidade. (Mundo mensagem).

 

 



Nasci em 1959 no Rio de Janeiro e venho de família humilde. Lutei muito para chegar onde ainda contínuo chegando. Comecei a me interessar pela poesia ainda na adolescência. Onde eu escrevia pequenos trechos. Foi quando comecei a sentir uma vontade enorme de me expressar através desses trechos. Comecei a sentir uma profunda sintonia com o meu modo de ver e de sentir. Desses pequenos trechos, fui juntando cada frase que escrevia, até surgir a arte da poesia na minha vida. A partir desse momento, comecei a participar de vários Concursos Literários. E não parei por aí. Comecei a participar de Antologias Literárias, ganhando vários Certificados de Participações. A minha primeira antologia foi com o tema "MEU BRASIL BRASILEIRO" (2013), a segunda com o tema "BRASIL de A a Z" (2014), a terceira com o tema "FAZENDO AMOR COM A POESIA" (2015), a quarta com o tema "TODAS AS MULHERES DO MUNDO" (2017), a quinta com o tema "ANUÁRIO DE ESCRITORES 30 ANOS" (2018). O meu primeiro livro publicado Infanto-juvenil, o INDIOZINHO GUARANI (2018). Estou indo para o meu segundo livro, que está em análise na editora. Está pensando que estou com a intensão de parar? Está redondamente enganado. Não tenho esta intenção. Estou escrevendo outros. Me formei em Bacharel em Publicidade e Propaganda. Fiz o curso Técnico de Enfermagem. E o destino quis, que eu cuidasse de vidas humanas. Sou Servidor Público Estadual. Escritor. Colunista do jornal de grande expansão no Mato Grosso do Sul. Colunista do site Pensar bem viver bem em São Paulo. Colunista da Revista Statto no Rio Grande do Sul. Eu me defino como um ser em mutação porque estou em busca de ideias inovadoras para minha vida. Quero concluir, lembrando a todos, que a figura do professor é a principal referência de nossas vidas e precisamos garantir o direito à leitura no sentido geral. Que esta minha história de vida, possa incentivar aos mais jovens, que dizem não gostar de ler. E sabemos: - não gostam de ler porque não foram motivados, não foram ensinados. Leitura se ensina sim, e ensinar é democratizar a experiência da leitura. É portanto, responsabilidade docente promover a leitura e assegurar a todos, o direito de ser um indivíduo atuante no mundo em que vivemos.

Diga-nos o que achou do post: