Os desafios de mudar de profissão aos 40 anos

Mudar de profissão aos 40 anos?

O receio de colocar em risco a estabilidade financeira e profissional, muitas vezes, acaba adiando essa mudança, mas nunca é tarde para encarar o desafio.

Sim, tudo é possível para aquele que crê! Mas exige maior cautela, pois essa mudança deve vir acompanhada de uma grande reflexão sobre seu propósito de vida, seus sonhos, vida financeira, enfim, são muitas as questões envolvidas.

Não existe tempo certo para recomeçar, o que existe é vontade de mudar uma história. Qualquer mudança, seja profissional ou pessoal, são sempre muito difíceis, não é fácil deixar nossa zona de conforto, mesmo não estando feliz.

Para Micheline Carvalho, Coaching de Carreiras e Gestora em RH da Acanga Soluções Corporativas, “uma decisão na mudança de carreira, às vezes, é desconsiderada ou até mesmo adiada por vários motivos: segurança, comodidade, estabilidade financeira, família e etc. Esses fatores costumam pesar na hora de uma decisão, principalmente quando vem acompanhado dos 40 anos.  Uma transformação que deve vir com muita cautela e reflexão.”

Ainda para Micheline, “um dos passos para quem pensa na mudança   é investir tempo em seu autoconhecimento, entendendo qual o seu verdadeira propósito, o que você irá perder e o que irá  ganhar a cada passo. O que pretende deixar de legado com essa nova decisão. Envolver e buscar apoio de sua família, é fundamental para um planejamento e uma estabilidade emocional na  transição de carreira. É importante encarar essa mudança como um crescimento.” Complementa.

Trabalhar em cima das  principais competências e habilidades, avaliar de forma concreta se a mudança não está ligada ao cansaço, à  insatisfação com o cotidiano, à desmotivação, entre outros fatores que poderão ocorrer em qualquer área profissional, são pistas cruciais para identificar este processo de transição,  afinal de contas, problemas existem em todos os lugares.

“Lembre-se, tudo é uma fase e nunca é tarde demais para mudar e encontrar novos rumos e possibilidades. Você pode ir onde quiser e quando quiser independentemente de sua idade.” Comenta Micheline.

Micheline Carvalho – Coaching de Carreiras e Gestora em RH da Acanga Soluções Corporativas

Para encarar uma nova carreira, é preciso adquirir novos conhecimentos, reaprender processos e se familiarizar com as exigências e funções da nova profissão.  Agora, todo investimento em aprendizado – cursos, workshops e troca de experiências com profissionais da área será muito válida.

Um ponto importante para quem decide por essa transição é a readequação de suas expectativas, pois nessa nova fase de sua vida pode ser necessário dar alguns passos para trás até conseguir novamente sua estabilidade.

Exemplo de superação

Quem vê a terapeuta Lourdes Nepomuceno usando técnicas milenares para a melhoria da saúde e qualidade da vida de seus pacientes, não imagina que, antes disso, ela atuou por 26 anos em uma das principais companhias telefônicas do país, a Embratel. Graduada em administração, Lourdes trabalhou dos 22 aos 48 anos de idade na empresa, mas, a rotina e a falta de incentivo por parte da companhia foram agravando seu descontentamento e levando-a a buscar um novo caminho.

“Com a desmotivação, comecei a refletir sobre os rumos que queria dar à minha vida e como poderia achar um ofício que, além de me realizar profissionalmente, pudesse também trazer um impacto positivo na vida das pessoas”, conta a terapeuta.

Foi então que ela deu início a um curso de Shiatsu enquanto ainda estava na empresa. Para sua surpresa, um grande  número de pessoas passou a requisitar  tratamentos e conciliar as duas atividades passou a ser um grande desafio.

“Decidi que já era hora de ir atrás desse sonho e empreender em algo que me trouxesse felicidade”, diz Lourdes.

Embora o medo do novo e a insegurança de uma renda fixa e os benefícios oferecidos, Lourdes juntamente com a terapeuta Danielle Vilela, que também passava pela mesma situação de desânimo com a carreira corporativa, criaram a Aroma de Flor Terapias em 2008, com sede própria no Centro do Rio de Janeiro.

Atualmente, Lourdes Nepomuceno atende diversos pacientes que buscam melhoria física e emocional, dentre as terapias, o Shiatsu, reflexologia, acupuntura, auriculoterapia e seitai, todas feitas com uso preciso das mãos, são praticadas pela terapeuta.

Para galgar degraus maiores, hoje Lourdes cursa fisioterapia. “Sinto-me realizada pessoal e profissionalmente, foi à decisão mais acertada que tive”, conta.

Fonte: KC Assessoria



Diga-nos o que achou do post: