criptomoedas

O que são criptomoedas e como investir com segurança?

Investir em criptomoedas é um assunto em alta nos últimos tempos, isso porque essa modalidade promissora de investimento já teve muitos altos e baixos.

Uma das mais famosas é a bitcoin, mas existem muitas outras relevantes e que chamam a atenção de cada vez mais investidores. Só que antes de se arriscar nesse mercado, é muito importante conhecer mais sobre ele.

Aliás, quando se trata de qualquer tipo de investimento, até mesmo os investidores mais experientes precisam se munir de informações antes de colocar seu capital em jogo.

Quem investe quer lucrar, mas não está livre dos riscos e prejuízos que uma escolha equivocada pode trazer. E dentre todas as modalidades disponíveis no mercado de investimentos, sem dúvidas, as criptomoedas são muito atraentes.

Há até mesmo quem acredite que elas possam substituir o dinheiro que conhecemos hoje, e muitos investem com esse pensamento.

Embora essa afirmação não seja segura, vale a pena acompanhar essa tendência, desde que isso seja feito de maneira consciente.

Pensando nisso, neste artigo, vamos explicar o conceito de criptomoedas e mostrar como os interessados podem investir nela. Confira o artigo.

Entendendo o que são criptomoedas

De modo geral, podemos dizer que criptomoeda é um tipo de dinheiro, assim como vários outros que vemos atualmente sendo debatidos no mercado, como o:

  • Dólar;
  • Euro;
  • Real;
  • Iene.

A grande diferença é que elas são digitais e não são emitidas por governos, como no caso do real e de todas as outras que conhecemos por aí.

Atualmente, são alvos de investimentos de pessoas e empresas, como no caso de uma especializada em conserto de notebook em Porto Alegre.

Para entender um pouco mais sobre seu conceito, podemos imaginar o e-mail que mudou completamente a maneira como as pessoas se comunicam.

Antes de sua existência, precisávamos dos correios para enviar mensagens para pessoas que estivessem longe, dentro ou fora do país. Algo muito parecido pode acontecer com as moedas virtuais.

Isso porque os usuários podem transferir fundos uns para os outros de qualquer parte do mundo, sem precisar de terceiros nessa transação.

Bitcoin é a moeda digital mais conhecida, mas as criptomoedas surgiram muito antes dele, mais precisamente, no ano de 1998, por meio de uma descrição feita por Wei Dai.

Ele sugeriu o uso da criptografia para controlar transações de um novo tipo de dinheiro, sem que fosse necessária a presença de uma autoridade, assim como acontece com o dinheiro tradicional.

Os usuários podem usar as criptomoedas da mesma forma que usam dinheiro, pois uma de suas funções é servir como um meio de troca nas transações comerciais.

Elas também podem ser reservadas, de modo a preservar o poder de compra além de servirem como unidade de conta, ou seja, quando a precificação é feita com base nela.

As criptomoedas, no entanto, ainda não atingiram o patamar de unidade de conta por causa de sua volatilidade de seus preços.

Só que além de entender o conceito de criptomoeda, é muito importante compreender o que é mineração. As moedas digitais possuem um código complexo que não pode ser alterado e suas transações são protegidas por criptografia.

Se uma empresa de transformador de energia solar investe e utiliza as criptomoedas, faz isso sem a necessidade de uma autoridade central para acompanhar suas transações.

Elas só precisam ser registradas e validadas por um grupo de pessoas, que por meio de seus computadores, gravam cada moeda em um registro conhecido como blockchain.

Este, por sua vez, é um banco de dados público que armazena o histórico de todas as operações realizadas com diversos tipos de moedas digitais.

Cada vez que uma nova transação acontece, por exemplo, a transferência de criptomoedas entre duas pessoas, o blockchain faz uma análise prévia para garantir que essas moedas não foram usadas anteriormente por outra pessoa.

O registro das transações é feito pelos mineradores, que possuem uma capacidade de processamento em seus computadores necessária para esses registros, e eles também conferem operações com essas moedas, sendo remuneradas com elas.

Um fabricante de placa de homenagem agradecimento consegue investir nas criptomoedas porque são criadas por meio de e computadores que formam uma rede capaz de resolver problemas matemáticos e que verifica a validade das transações.

A mineração nada mais é do que a criação de novas unidades de moedas digitais. Quanto mais computadores são usados para aumentar o processamento de mineração, os problemas matemáticos se tornam ainda mais difíceis.

Isso acontece justamente para limitar o processo de mineração. A melhor parte fica com quem pode investir, mas é necessário seguir alguns critérios para fazer isso.

Como investir em criptomoedas?

As moedas digitais se tornaram um ativo de grande potencial de crescimento, mas até que se tornem mais maduras, continuarão sendo voláteis.

Para uma pessoa ou uma confecção de camisa de empresa bordada que queira investir nessa modalidade, trata-se de uma forma descentralizada de dinheiro, que não precisa de intermediários tradicionais, como no caso dos bancos e governos.

Justamente por possuir uma baixa correlação com outros mercados e ter muita oscilação, esse tipo de investimento ainda sofre com muita estabilidade.

O bitcoin, conhecido como a moeda digital mais popular do mundo, passou por uma valorização de cerca de 100% no primeiro trimestre de 2021, por outro lado, fechou o segundo trimestre com 41% de queda.

É por essas e outras que o investidor precisa identificar boas oportunidades nesse tipo de investimento e de que maneira ele pode se encaixar aos seus objetivos.

Mesmo assim, o bitcoin tem apresentado uma excelente performance nos últimos 10 anos, pois entrega retornos consistentes anualmente.

Se um fabricante de máquina de café comodato puder esperar mais de 6 meses, terá resultados muito positivos.

É importante salientar que as moedas digitais são ativos independentes de bancos e instituições financeiras, o que as tornam uma alternativa hedge.

Em outras palavras, um tipo de investimento que protege o valor do ativo de futuras variações, a exemplo das flutuações no mercado tradicional. É por isso que existe uma grande alocação de investidores de criptomoedas.

Mas, assim como no caso de qualquer outro tipo de investimento, antes de apostar nas moedas digitais, é muito importante avaliar o seu perfil de investidor. Mas, neste caso em específico, algumas dicas são:

Usar uma carteira digital

O ponto mais importante para se manter seguro é possuir suas próprias chaves privadas e públicas, que permitem gerenciar as moedas, sem que para isso seja necessária a intervenção de um terceiro.

Isso significa que a pessoa ou até mesmo um fabricante de nobreak para provedor de internet deve ter autonomia suficiente para efetuar as transações de maneira rápida, segura e sem intermediários.

Além de trazer mais segurança, essa autonomia também possibilita transações com menos custo, além de ser a base da nova economia digital.

Investir a quantia certa

Criptomoedas devem ser vistas como uma maneira de diversificar os investimentos e não atuarem apenas como o investimento principal.

O investidor precisa ter em mente que vai adentrar em um mercado volátil e não há indícios seguros de qual será seu futuro.

É necessário saber que assim como é possível obter lucros altos, os prejuízos também podem ser muito grandes, por isso, seja moderado em relação à quantia e não ultrapasse 5% do patrimônio.

Essa cautela é válida tanto para pessoas quanto para empresas que desejam investir, como no caso de uma especializada em banda larga fibra ótica.

Optar pelos ativos mais consolidados

O valor de um cripto ativo é proveniente de seu reflexo de valor na blockchain e o modo como ele é precificado pelos participantes.

Por essa razão, procure escolher moedas digitais de maior capitalização de mercado, pois além de serem mais seguras é mais fácil contá-las.

Ter boas metas de retorno

Assim como com qualquer outro tipo de investimento, para fazer um bom trabalho com o cripto ativos é necessário comprar na baixa e vender na alta.

Apesar de existir esse conselho básico, ainda vemos muitos investidores novos fazendo o contrário, e por isso acabam se frustrando e comprando a preços elevados.

Quando o mercado sofre uma queda brusca, eles se assustam e desejam abandonar o investimento. Só que antes disso, o investidor precisa se sentar em sua mesa de escritório planejada e definir sua estratégia.

Isso quer dizer que ele deve avaliar seu potencial de ganho em longo prazo e manter a calma quando as fortes oscilações no mercado acontecerem.

Considerações finais

Resumindo, as criptomoedas são grandes tendências de investimentos e prometem excelentes retornos, apesar de sua volatilidade.

É uma boa opção de investimento para quem se dispõe a correr certos riscos, mas para começar, é muito importante conhecer seus pormenores e obter excelentes resultados.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.



Diga-nos o que achou do post: