O MEIO AMBIENTE PEDE SOCORRO!

Rio, 22/05/2022.

 

Escrito pelo colunista: Antonio Chaves.

 

 

O MEIO AMBIENTE PEDE SOCORRO!

 

Diante das calamidades que ocorrem no início do ano envolvendo deslizamentos de terra e alagamentos de proporções catastróficas, não nos resta alternativa a não ser repensar a forma como estamos conduzindo o nosso futuro. O ser humano depende diretamente do meio onde vive e quando este é aniquilado, o homem sofre também, isso vem sendo comprovado a cada década, por isso é importante a implementação de políticas públicas que visem à conservação do meio ambiente, essa deve ser uma das primeiras metas a ser alcançada por qualquer governante. Mas só isso não basta, é uma questão de educação ambiental e de conscientização do ser humano de que a preservação do planeta depende de todos nós.

A modificação do meio ambiente é inevitável, mas é necessário que seja feita de forma positiva, pois é uma realidade à medida que o homem se organiza e produz bens e serviços para suprir as demandas de tal sociedade. O que podemos fazer para construir um futuro melhor de sustentabilidade ambiental que tanto almejamos?

A primeira coisa que devemos fazer é, avaliar as consequências reais do nosso comportamento como consumidores insatisfeito com o que temos, sempre buscando o novo e sempre querendo mais e mais sem medir as consequências de nossos atos, a mudança deve começar por mim e por vocês, devemos parar para pensar no futuro que queremos e devemos repensar que certas atitudes que tomamos contribuem para o desequilíbrio ambiental.

A democracia é a única certeza que temos para combater a miséria e as desigualdades do nosso Brasil. Esse é o segredo, as árvores fornecem de graça o oxigênio necessário para a vida, capturam o gás carbônico da poluição e devolvem o oxigênio, porque precisamos de água doce limpa para beber, tomar banho e cozinhar. Precisamos entender que somos os únicos interessados em viver bem e não há como isso acontecer se não preservarmos o meio onde vivemos. O Brasil como referência mundial em biodiversidade, tem um papel importante nesse cenário caótico, atitudes simples e rotineiras podem fazer a diferença não só para preservar o planeta, mas recuperá-lo, economizando água com certeza, uma das primeiras atitudes a serem reforçadas quando se fala em proteger o meio ambiente.

A água, como sabemos é vital para a vida de praticamente todo ser vivo, porém ela é finita, um dia a água do planeta pode acabar se não forem tomadas medidas necessárias para preservá-la seja em casa ou no trabalho.

Digas importantes:

– A mangueira desperdiça muita água então evite usar para lavar o carro, o quintal ou a calçada.

– Regue as plantas à noite ou de manhã bem cedo, além de evitar choques térmicos para as plantas, isso também ajuda a aproveitar melhor a água já que a evaporação é menor.

– Tome banhos curtos e aproveite quando está se enxaguando para escovar os dentes.

– Na hora de lavar louça não deixe a torneira aberta, só ligue na hora de enxaguar.

É através do meio ambiente que temos todos os recursos naturais necessários para a vida, tanto dos seres humanos quanto de outros animais. (Namastê).

 

 

 



Nasci em 1959 no Rio de Janeiro e venho de família humilde. Lutei muito para chegar onde ainda contínuo chegando. Comecei a me interessar pela poesia ainda na adolescência. Onde eu escrevia pequenos trechos. Foi quando comecei a sentir uma vontade enorme de me expressar através desses trechos. Comecei a sentir uma profunda sintonia com o meu modo de ver e de sentir. Desses pequenos trechos, fui juntando cada frase que escrevia, até surgir a arte da poesia na minha vida. A partir desse momento, comecei a participar de vários Concursos Literários. E não parei por aí. Comecei a participar de Antologias Literárias, ganhando vários Certificados de Participações. A minha primeira antologia foi com o tema "MEU BRASIL BRASILEIRO" (2013), a segunda com o tema "BRASIL de A a Z" (2014), a terceira com o tema "FAZENDO AMOR COM A POESIA" (2015), a quarta com o tema "TODAS AS MULHERES DO MUNDO" (2017), a quinta com o tema "ANUÁRIO DE ESCRITORES 30 ANOS" (2018). O meu primeiro livro publicado Infanto-juvenil, o INDIOZINHO GUARANI (2018). Estou indo para o meu segundo livro, que está em análise na editora. Está pensando que estou com a intensão de parar? Está redondamente enganado. Não tenho esta intenção. Estou escrevendo outros. Me formei em Bacharel em Publicidade e Propaganda. Fiz o curso Técnico de Enfermagem. E o destino quis, que eu cuidasse de vidas humanas. Sou Servidor Público Estadual. Escritor. Colunista do jornal de grande expansão no Mato Grosso do Sul. Colunista do site Pensar bem viver bem em São Paulo. Colunista da Revista Statto no Rio Grande do Sul. Eu me defino como um ser em mutação porque estou em busca de ideias inovadoras para minha vida. Quero concluir, lembrando a todos, que a figura do professor é a principal referência de nossas vidas e precisamos garantir o direito à leitura no sentido geral. Que esta minha história de vida, possa incentivar aos mais jovens, que dizem não gostar de ler. E sabemos: - não gostam de ler porque não foram motivados, não foram ensinados. Leitura se ensina sim, e ensinar é democratizar a experiência da leitura. É portanto, responsabilidade docente promover a leitura e assegurar a todos, o direito de ser um indivíduo atuante no mundo em que vivemos.

Diga-nos o que achou do post: