O grito silencioso

O grito silencioso

Os dentes a ranger

Alguém abusa da confiança

É a ilusão que vai me sufocando

Perco o sentido da vida.

Ao menos me permita chorar até o dia clarear

E minha face testemunhará

Que na solidão encontro ajuda para superar

O grito silencioso

A sociedade não faz questão de dar a devida atenção.

Com quanta desilusão se enche minha alma

É falta de amor ou de sorte?

Os homens já não sabem respeitar

O amor e carinho que por ele foi nutrido.



Carlos de Campos nasceu em 1980 em Biritiba Mirim, São Paulo. Apaixonado por Poetrix. Em 2017, começou a escrever seus versos nas redes sociais, expressando-se de maneira profunda, em reflexões e observações sobre a condição humana, entre outras; analisando sua organização, atuação e intempéries emocionais, de forma leve, porém, concisa e incisiva. Não se deixando condicionar por padrões, investigando, atentamente, os recônditos mais conflitantes da existência e expressando-o, poeticamente, através do seu minucioso olhar. Autor do Livro Enquanto a solidão me abraça https://caravanagrupoeditorial.com.br/

Diga-nos o que achou do post: