O futuro está nas crianças

A pandemia do Covid19 atinge as crianças mais do que qualquer outro grupo da população. Toda a rotina familiar e educacional que tinham foi subitamente modificada. Quase todas ainda estão estudando online e muitos decretos inconstitucionais, tanto municipais quanto estaduais incluem crianças pequenas.

Para aquelas que se lembrarão de 2019/2020/2021 provavelmente irão considerar o Covid19 como um evento significativo em suas vidas, muito provavelmente contarão aos descendentes sobre como era viver em nossa época.

Mas como elas se lembrarão desta crise quando chegarem à idade adulta? E como isso moldará sua visão de mundo?

Todas as crianças, sem exceção, possuem um senso de justiça profundo, elas conseguem compreender desde cedo que para brincar com outras crianças é necessário o mínimo de justiça.

Quem já passou algum tempo com um grupo de crianças que estão brincando, independente do controle de algum adulto ou não, percebe que elas se preocupam muito com a justiça, é comum ouvir a frase “Isso não é justo” e há uma razão simples pela qual a brincadeira deve ser justa.

A justiça não vem da filosofia moral e nem de um altruísmo, crianças como bem sabemos não são filósofos, essa justiça vem da realidade de que só é possível brincar com outros se for justo.

Segundo Emma Freire:

As crianças estão vendo que suas escolas ainda estão fechadas, mas que outros tipos de encontros são permitidos. Algumas atividades são permitidas, enquanto outras – apesar de serem essencialmente a mesma coisa – são proibidas. Dependendo da idade, essas observações os impactarão profundamente. As crianças percebem que isso é injusto. Nem todo mundo está jogando pelas mesmas regras.

Em um futuro não muito distante, as pesquisas irão nos dizer quais restrições impostas pelos governantes foram úteis e inúteis no combate ao vírus e teremos também a compreensão geral dos efeitos colaterais dessas medidas. Os adultos que eram crianças durante esta pandemia provavelmente acompanharão esses desenvolvimentos com grande interesse.

Os estudos sobre o impacto das restrições nas crianças se concentram apenas na parte educacional, isso se da ao fechamento das escolas.

Mas temos de lembrar e notar que essas mesmas crianças estão testemunhando diversas violações do seu senso de justiça, mesmo que não conheçam essa definição no momento e isso provavelmente ira deixa-las com desconfianças em relação às autoridades.

Será que a COVID-19 vai criar uma geração de libertários?

Twitter:      @BarbozaLucaas

Instagram: @barboza.lucaas

Parler:        @ldealmeida

GabSocial: @BarbozaLucaas

 



Paranaense, Estudante de ciências econômicas e historia, formado em Logística e MBA em gestão de projetos. Leitor assíduo de filosofia e politica.

Diga-nos o que achou do post: