NFT’s: a fantástica fábrica de criação de valor

Definir o valor de uma coisa qualquer pode ser muito difícil mas só ter uma noção da magnitude dos valores já é bem mais fácil. Poucas pessoas teriam alguma dúvida em afirmar que diamantes, mansões e iates valem muito. E que restos de alimentos, folhas de árvores e canetas sem tinta não valem nada ou valem muito pouco.

Pense em tudo que você conhece e nos valores dessas coisas: carros, livros, alimentos, computadores, roupas, viagens, um corte de cabelo, etc. Podemos pensar facilmente em que se baseia o valor de todas essas coisas: a tecnologia empregada na sua fabricação, a dificuldade de conseguir, a utilidade, o prazer que nos traz, o custo da matéria prima utilizada, a habilidade e/ou conhecimento do profissional que executa o serviço, etc. Mas tem uma coisa que está em bastante evidência ultimamente e que é difícil dizer de onde vem o seu valor: os NFT’s, sigla para ‘non-fungible token’ (token não fungível, em português).

 

O QUE É UM NFT

 

Mesmo estando em bastante evidência, não é muita gente que saiba o que é exatamente um NFT e, para ser sincero, eu também não sei. A tecnologia por trás disso não é mesmo fácil de compreender. A tal da blockchain. Mas o que eu sei é o suficiente para a elaboração desse artigo. E o que importa saber aqui é que o blockchain é uma forma de registro eletrônico imutável e inviolável. Ou seja, uma vez registrado uma transação na blockchain é impossível de alterar ou de desfazer. E é aí que acontece a “mágica” da criação do valor dos NFT’s.

 

E A “MÁGICA” ACONTECE

 

Você talvez já tenha visto essa imagem abaixo:

Eu tenho essa imagem no meu computador e se você procurar por essa imagem no Google encontrará milhares dela, em vários tamanhos e versões com frases. Quanto vale essa imagem? Provavelmente nada. Se eu tentar vender essa imagem que eu tenho no computador provavelmente não conseguirei nenhum centavo por ela. Afinal, qualquer um pode conseguir essa imagem de graça. Você mesmo pode salvar uma no seu computador bastando copiar de qualquer página da internet onde ela apareça.

Então como pode ter algum valor alguma coisa que qualquer um pode ter de graça. Mas essa imagem (ou melhor), uma das milhares de imagens iguais a essa que existem por aí, foi registrada no blockchain e, portanto, virou um NFT. E aí deixou de ser uma imagem qualquer. Passou a ser uma imagem com um registro na blockchain, ou seja, um NFT. E essa imagem específica foi vendida por US$ 473 mil, o equivalente a R$ 2,68 milhões (clique aqui para ler sobre essa venda). Essa imagem que você está vendo na tela do seu computador (ou do seu smatphone) não vale nada, mas uma imagem exatamente igual a esta, mas com um registro na blockchain, vale milhares de dólares.

Ou seja, imagens digitais, que nada mais são do que arquivos de computador, não valem nada, mas ao serem registradas na blockchain se tornam NFTs e passam a ter algum valor. Algumas vezes, a ter muito, mas muito valor. Estranho? Talvez, mas o fato é que é assim. Veja outros exemplos: aqui, aqui e aqui.

 

 



Bacharel em Ciências Econômicas - Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Economia Social e do Trabalho - Universidade Estadual de Campinas. Presto serviços de elaboração de textos para pessoas físicas e jurídicas.

Diga-nos o que achou do post: