Menina, mulher e revolucionária

Menina, mulher e revolucionária
Paulatinamente você vai despertando-se
Imperativo do cuidar
O sonho que tantas vezes sonhou.
Muito já foi dito de tua beleza
Muitos até de tua capacidade especularam
No final você se superou amavelmente.
Tenho a honra de estar ao teu lado
Testemunhar as épicas batalhas travadas por você
Na suprema fidelidade para salvaguardar a vida alheia.
Matriarca e esposa
Dependente apenas dos teus sonhos e projetos
Na consciência livre e totalmente desapegada.
Ímpar no amor
Lutadora e feminina
Onde tudo e todos gravitam ao teu lado.
Repleta de vitalidade…
De semblante aconchegante…
A mais pura essência na vida de um homem.
Mulher heroína! Digo sem qualquer bajulação,
Pois, na sociedade em que vivemos
Ser mulher no dia dia é constante a humilhação
Tu! Mulher és o mais nobre símbolo da paz.


Carlos de Campos nasceu em 1980 em Biritiba Mirim, São Paulo. Apaixonado por Poetrix. Em 2017, começou a escrever seus versos nas redes sociais, expressando-se de maneira profunda, em reflexões e observações sobre a condição humana, entre outras; analisando sua organização, atuação e intempéries emocionais, de forma leve, porém, concisa e incisiva. Não se deixando condicionar por padrões, investigando, atentamente, os recônditos mais conflitantes da existência e expressando-o, poeticamente, através do seu minucioso olhar. Autor do Livro Enquanto a solidão me abraça https://caravanagrupoeditorial.com.br/

Diga-nos o que achou do post: