Lya Luft: Uma literatura sensível e elegante

Um legado do Rio Grande do Sul para o Brasil e o mundo

 

Acho que a vida é um processo… É como subir uma montanha. Mesmo que no fim não se esteja tão forte fisicamente, a paisagem visualizada é melhor.
Lya Luft

 

A escritora gaúcha Lya Luft, nascida em 15 de setembro de 1938, na cidade de Santa Cruz do Sul e falecida em 30 de dezembro de 2021, aos 83 anos de idade, em Porto Alegre, nos deixa um legado fantástico com 31 livros publicados, além de uma escalada de premiações!
Lya ingressou no mundo das letras, nos anos 60, como tradutora de obras em alemão (língua cuja família era descendente) e inglês, porém um ano antes desse fato, graduou-se em Pedagogia e em Letras Anglo-Germânicas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).
De 1970 a 1982, atuou como professora titular de Linguística na Faculdade Porto-Alegrense (FAPA) e obteve o grau de  Mestra em Linguística (1975, pela PUC-RS) e em Literatura Brasileira (1978, pela UFRGS).

 

Algumas premiações


Em 1996, foi eleita patrona da Feira do Livro de Porto Alegre. Em 2001, recebeu o Prêmio União Latina de Melhor Tradução Técnica e Científica, pela obra “Lete: Arte e Crítica do Esquecimento”, de Harald Weinrich.
O primeiro livro lançado foi em n1964, “Canções de Limiar, um livro contendo 30 poemas, também premiado no concurso de poesia organizado pelo Instituto Estadual do Livro do Rio Grande do Sul! Sua última obra foi em 2020, “As Coisas Humanas”, no gênero ficção literária. 

 

Obras de maior destaque

Entre suas obras de maior destaque estão “O Tigre na Sombra“,  “Perdas e Ganhos”, “Pensar é Transgredir” e “As Parceiras”!
Mas também vale destacar “Exílio” (1987), “O Lado Fatal” (1989), “A Sentinela” (1994) e “O Rio do Meio” (1996). Esse último título recebeu o Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte por obra de ficção.

Bibliografia:

Canções de Limiar, 1964 

Flauta Doce, 1972 

Matéria do Cotidiano, 1978 

As Parceiras, 1980 

A Asa Esquerda do Anjo, 1981 

Reunião de Família, 1982 

O Quarto Fechado, 1984 

Mulher no Palco, 1984 

Exílio, 1987 

O Lado Fatal, 1989 

A Sentinela, 1994 

O Rio do Meio, 1996 

Secreta Mirada,1997 

O Ponto Cego, 1999 

Histórias do Tempo, 2000 

Mar de Dentro, 2000 

Perdas e Ganhos, 2003 

Histórias de Bruxa Boa, 2004 

Pensar é Transgredir, 2004 

Para não Dizer Adeus, 2005 

Em outras Palavras, 2006 

A Volta da Bruxa Boa, 2007 

O Silêncio dos Amantes, 2008 

Criança Pensa, 2009 

Múltipla Escolha, 2010 

A Riqueza do Mundo, 2011 

O Tigre Na Sombra, 2012 

O Tempo é um Rio que Corre, 2013 

Paisagem Brasileira, 2015 

A Casa Inventada, 2017 

As coisas Humanas, 2020 

 

Lya Luft escreveu muita coisa sobre a alma feminina, porém suas obras também foram marcadas pela luta contra os estereótipos sociais! 



Jornalista, gaúcha.

Diga-nos o que achou do post: