Intolerância nas redes sociais

E você, já sofreu com a intolerância na Internet?

 

A chegada da internet, seus prós e contras

A internet chegou ao Brasil no ano de 1988, e após 30 anos da sua chegada, muita coisa mudou. A princípio, a internet era algo restrito a um grupo seleto de pessoas. No entanto, atualmente, o Brasil, possui 134 milhões de usuários, segundo a EBC (Agência Brasil).

Três em cada quatro brasileiros acessam a internet é o que diz a pesquisa feita pela Agência. Porém, ainda existe uma grande desigualdade de renda no Brasil, o que dificulta o acesso de muitas pessoas à rede.

Sem duvida, a internet facilitou a vida dos brasileiros sobremaneira, mas como tudo na vida, tem seus prós e contras. Ela chegou agilizando processos, aproximando pessoas,  trazendo inúmeros avanços à sociedade. Entretanto, tem causado divisões, intrigas, distanciado amigos e até familiares. Esse paradoxo é um assunto de grande relevância a ser tratado na atualidade.

Leis que regem a internet no Brasil

Em 23 de abril de 2014, foi sancionada a Lei N° 12.965, que estabelece, garantia, direitos e deveres para o uso da internet no Brasil. No entanto, não vejo nela, citações incisivas sobre essas ações nocivas a integridade do usuário realizadas na internet.

Por exemplo: no seu Art. 2° a Lei fala sobre liberdade de expressão, e no Art. 3°, inciso primeiro, novamente trata desse assunto. Contudo, a lei não fala a respeito dos abusos no uso dessa liberdade , que por fim, acaba se tornando em libertinagem.

A intolerância na internet

Sem dúvida, a internet em  é benéfica. Todavia, há um grave problema no seu uso, e esse problema é externo a ela; o problema, são seus usuários. Digo isso com propriedade, com a clareza de um usuário assíduo em redes sociais, blogs e em sites de notícias.

Sendo assim, dentro da rede não vejo limites nas falas dos usuários; a intolerância é clara em todas as esferas. Não há um padrão a ser seguido, a maioria não conhece as leis da liberdade de expressão. Por esse motivo, destilam ódio através do teclado do seu desktop ou smartphone.

Essa afirmativa pode ser confirmada através de um simples acesso a alguns grupos do Facebook e Whatsapp (nada contra, também sou usuário), pois ali encontramos uma diversidade imensa de pensamentos. Cada usuário procura expressar a sua opinião sobre determinado assunto, e é ai que começam o problemas.

Os assuntos mais polêmicos

Alguns assuntos geram mais polêmicas do que outros; esses são aqueles que mexem com a opinião pública de forma impressionante. Assuntos como, racismo, sexualidade, política e aborto estão no topo das discussões na internet.

Recentemente o Senado Argentino aprovou em votação unânime o projeto de lei regulariza o aborto. Essa decisão repercutiu mundialmente, inclusive no Brasil, país onde predomina a Religião Cristã(contraria ao aborto). Vários ataques  foram feitos ao país onde se aprovou essa lei e inclusive, ao Papa Francisco, que é natural da Argentina.

Então, em virtude dessa aprovação, a redes sociais ficaram repletas de posicionamentos  contrários e também  favoráveis a decisão. Mas o que me deixa perplexo, é a forma com que essas pessoas se posicionam. Xingamentos e palavras de baixo calão, mostram o total despreparo e a intolerância da sociedade ao discutir assuntos de tamanha relevância.

Da mesma forma, outro assunto que gera muitas discussões na rede são os Pets. Isso mesmo, os animaizinhos de estimação. Eles são causadores de vários debates nas redes sociais no que diz respeito a forma com que são tratados ou sobre as áreas ou locais nos quais podem ou não entrar. E ainda, é recorrente ouvir a frase: “quanto mais eu conheço os humanos, mais eu amo os animais”, fazendo menção à repulsa que alguns seres humanos sentem uns pelos outros.

A Intolerância seria falta de cultura?

Acompanhando algumas discussões nas redes sociais, percebo que quando faltam os argumentos, sobram as ofensas. A facilidade, liberdade e impunidade são fatores que favorecem o aumento da intolerância nas redes.

Por isso, é necessário uma fiscalização mais intensa, mesmo que seja através de denuncias dos próprios usuários. No que diz respeito a isso, algo interessante acontece. Há pessoas que, em meio a discussão, quando percebem que seus argumentos terminaram, acessam o perfil pessoal do seu “adversário”para colher informações. Feito isso, em poder das informações, passam a fazer ataques pessoais, diretos à pessoa, e às vezes, até aos seus familiares .

Analisando os fatos, cheguei a conclusão que, a falta de cultura é um dos fatores principais desse tipo de atitude. As pessoas querem debater sobre assuntos sobre os quais não tem o minimo de conhecimento, não leem jornais , revistas e muito menos livros. Sendo assim, vejo que elas não possuem base nenhuma para debater educadamente assuntos tão polêmicos.

Logo, é importante que tenhamos a consciência de que do outro lado da tela existe um ser humano igual a nós e que merece respeito. É verdade que nossa natureza faz com que queiramos a todo o custo vencer o debate, mas não podemos fazer isso a qualquer custo.

Prepare-se, estude, leia sobre o assunto , se informe, e então entre no debate, com sabedoria, coerência, respeito, e principalmente, com tolerância.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Carlos José, é Cristão, Graduando em Pedagogia pela Faculdade Dom Alberto, Bacharelando em Teologia pelo Instituto Educacional Videira , Articulista e amante da leitura e da escrita .

Diga-nos o que achou do post: