Inspeções visuais das instalações elétricas na prevenção de princípios de incêndios

1- IDENTIFICAÇÃO DA TAREFA (o que está sendo realizado):

Quando: 13/11/2017 por volta das 11:00 horas, um pouco depois do acionamento do alarme sonoro por causa do detector de fumaça

A princípio, poucos minutos antes (por volta das 10:30 horas, o alarme de incêndio havia disparado. Vale ressaltar que na segunda por volta das 18h30 e na sexta-feira por volta das 15h30 o alarme sonoro também havia disparado.

O detector de fumaça é um equipamento simples. Como o próprio nome diz, o aparelho identifica a presença de fumaça no ambiente e aciona o sistema de alarme. Esse, por sua vez, avisará as pessoas que estão no local sobre o possível incêndio, o que permite que elas escapem sem danos. (SIMÕES, 2021)

Portanto, anomalias podem ser detectadas com a inspeção visual das instalações elétricas do quadro de distribuição:

 

Disjuntor 15 desarmado

O disjuntor é um dispositivo eletromecânico que tem a função de proteger as instalações elétricas, ou seja, assim que a corrente elétrica que passa por ele ultrapassa o seu valor nominal, ele interrompe o circuito impedindo o fornecimento de energia para as cargas do circuito, evitando assim que elas e o circuito danifiquem. (Mundo da Elétrica, 2021).

Disjuntor 15 desarmado

Contator é um dispositivo eletromecânico que permite, a partir de um circuito de comando, efetuar o controle de cargas num circuito de potência. Essas cargas podem ser de qualquer tipo, de tensão diferente do circuito de comando, e até conter múltiplas fases. (Wikipedia, 2021).

Contator 24C1 – cabos com fases derretidas

O circuito do Contator 24C1 correspondia ao Chiller (Indicado para refrescar o ar, produtos e equipamentos, o sistema de refrigeração Chiller auxilia na climatização e controle da temperatura e da umidade relativa em ambientes de grandes dimensões, além de circular, filtrar e renovar o ar. Funciona por meio do resfriamento da água.) do sistema de ar-condicionado do Bloco.

Chiller

2- IDENTIFICAÇÃO DOS FATORES POSITIVOS (material, ferramenta, ambiente, comportamento, etc…):

  • Circuitos bem identificados;
  • Diagrama Unifilar localizado na parte interna do painel de fácil acesso;
  • Presença de extintor de incêndio ao lado do quadro de distribuição;
  • Alarme sonoro de incêndio disparou (verificar se foi manual ou acionado automaticamente);
  • Disjuntor desarmou (proteção atuou).

 

3- IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS (ex: eletricidade, queda, produtos químicos, má postura, etc…):

  • Acima de tudo, quando o circuito pode se tornar um incêndio? O curto-circuito ocorre quando há uma passagem elevada de corrente elétrica em um circuito que não esteja preparado para receber tal carga. Sabe aquele cheiro de queimado que não sabemos de onde vem? Este é um forte indício de curto-circuito elétrico. Para identificar outros sinais, preste atenção em fios desencapados e com aspectos de velhos.
  • Portanto, os incêndios devidos à eletricidade são, na maioria dos casos, originados por sobreaquecimento da fiação, que pode tanto inflamar o revestimento plástico dos fios quanto os materiais que estiverem próximos, como tecidos, plásticos e papel.

 

4- SUGESTÃO DO INSPETOR (recomendações e/ou melhorias):

  • A princípio, passar um aparelho de termovisão no quadro de distribuição geral para detectar eventuais pontos de aquecimento. Nestes casos, fazer o reaperto de todos estes pontos com aquecimento. Depois passar novamente o termovisor.
  • Ainda mais, em pleno funcionamento, medir as correntes das 3 fases dos equipamentos envolvidos e verificar o dimensionamento das bitolas dos cabos sobre acerca da necessidade de trocas.
  • Do mesmo modo, analisar o esquema elétrico e verificar as maiores cargas envolvidas e também fazer as medições de todas correntes das fases envolvidas e detectar eventuais problemas de dimensionamentos.
  • Logo depois, divulgação interna sobre o princípio de acionamento dos alarmes sonoros do sistema de incêndio (Exemplo: em que situações ele é acionado e de que forma se manual ou através de algum sensor; quais os componentes do sistema de incêndio como por exemplo se existem sensor detector de fumaça). As últimas ocorrências de disparo foram acionadas manualmente? – Sugestão de passar à CIPA da empresa.
  • Em conclusão, relatar que ações foram feitas para resolver os problemas detectado – Sugestão de um parecer do Técnico de Segurança.

 

Bibliografia:

Mundo da Elétrica, 2021, disponível em: https://www.mundodaeletrica.com.br/o-que-e-um-disjuntor-e-qual-sua-aplicacao/. Acesso em 30 de novembro de 2021

Simões, 2021, disponível em: https://www.jsimoes.com.br/blog/saiba-como-funciona-um-detector-de-fumaca. Acesso em 30 de novembro de 2021

Wikipedia, 2021, disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Contator. Acesso em 30 de novembro de 2021

 



Frank Toshioka é Mestre em Desenv. de Tecnologia, Engenheiro Eletricista e Cientista de Dados - Especialista em Medições SMF, ADMS, SCADA, Hemera CAS, Copel, SCDE CCEE, SAMUST ONS. Gerente de Projetos de P&D - temas Blockchain, GD e Eletromobilidade. Frank Toshioka é Mestre (Stricto Sensu) em Desenvolvimento em Tecnologia pelo Lactec (2017) - Dissertação: Previsão de preço semanal de energia elétrica com dados com limites de saturação através de redes neurais artificiais e Engenheiro Eletricista pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004). Também é Escritor com 3 livros já publicados. Atualmente é Engenheiro Eletricista da Copel Distribuição, tendo experiência nas seguintes áreas: 1) Mercado e Comercialização Copel Distribuição (01/06/2014 até a presente data) a) Gestão de migração de consumidores do Ambiente de Contratação Regulado (ACR) para o Ambiente de Contratação Livre (ACL) e Apuração da carga Copel Distribuição (base CCEE – Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) b) Gestão do processo MUST - Montante de Uso do Sistema de Transmissão junto ao ON; c) Representante da Copel Distribuição de vários processos da CCEE (Ajustes de medições de fronteira, modelagens, Topologia da carga da Copel Distribuição, Medição Física e Contábil). d) Automações de sistemas envolvendo Gestão de Ajustes de Medições e 2) Gerente de Projetos P&D ANEEL nos temas de Inteligência Artificial na Previsão de Preços de Energia, Gestão de Energia pelo lado da demanda na Mobilidade Elétrica e Marketplace Descentralizado para Comercialização de Energia Elétrica baseado em Blockchain.3) Manutenção dos Sistemas da Copel Distribuição: a) 01/06/2012 a 31/10/2013 - Manutenção de Redes de Distribuição Gerenciamento de manutenção preditiva, preventiva e corretiva de redes de distribuição aérea convencional e compacta; b) 01/11/2013 a 31/05/2014 - Supervisão de inspeção preventiva e preditiva de redes de distribuição aérea: Acompanhar o desempenho dos índices de controle e continuidade (DEC/FEC) da manutenção do sistema de distribuição da macrorregião de Maringá; 4) Projetos, Fiscalização de Obras da Copel Distribuição (12/08/11 a 31/05/2012) - Elaboração de Projetos de rede aérea convencional e compacta; Fiscalização de Projetos de rede aérea e subterrânea, obras de saídas de Subestações e obras de Subestações Móveis; Participação de grupos de trabalho envolvendo redes subterrâneas. 5) Outras atividades: Mentor de Modelo de Negócios junto a Startups; Conselheiro Suplente do Crea-PR - Câmara de Engenharia Elétrica desde 2019. Livros já publicados: em 10/06/19 - A produção do conhecimento na engenharia elétrica, da Atena Editora - Capítulo Sistema gestor de ajustes de medições de fronteira Copel Distribuição.

Diga-nos o que achou do post: