Independência ou o que mesmo?

Em 7 de setembro de 1822, D. Pedro I, Príncipe-Regente do Trono Português no Brasil, teria proclamado a independência da então colônia de exploração elevada à condição de Reino Unido e Sede do Governo Imperial Português. Só me resta uma única pergunta a ser feita: e daí?

Hoje, 7 de setembro de 2019. Você é independente?De onde estou sentada, parece que não. Na verdade, eu estou muito certa disso. E vou explicar o que eu estou vendo a partir da pedra na qual estou sentada.

Naquela época, não havia mistério. Todo mundo sabia que era súdito de alguém: ou do Rei de Portugal ou do Imperador do Brasil. Era tudo mais simples. Você sabia bem quem mandava e que regras poderiam e quais não poderiam ser burladas.

Hoje, temos muito mais Reis e Imperadores mandando em nossas vidas do que conseguimos dar conta de obedecer cada regra.
Você obedece:
à lei
ao crime
à moda
à televisão
à Internet
à escola
à religião
aos gurus do momento
ao médico
à sociedade
ao banco
poxa! E a lista nem chega perto de ter fim! É de atordoar! Se um desses pilares desmorona, seu mundo cai junto.

Você ainda se pensa independente?
É tanto ruído e interrupção todo santo dia, o dia todo, que eu sinceramente duvido que você consiga ouvir seus próprios pensamentos.

Se não consegue pôr seus próprios pensamentos em ordem, como pode agir de modo independente? Quando você fala o que sente? Onde você se expressa de forma genuína? De que jeito você deixa claro a que você veio? Quando você tira os entolhos?

Se precisa ser direcionado por um canal de TV ou de social sobre o que debater e sentir, e não você mesmo ser capaz de listar o que é, realmente, importante para você e se ater a isso, eu questiono abertamente: afinal, qual sua definição de independência? Me conte nos comentários!

E estamos falando só de você. Não entrei ainda no problema do País nunca, realmente, ter deixado de ser uma colônia. Isso a gente conversa depois. Estou mais preocupada com você hoje. Vamos, me conte sua definição de independência e me conte 3 formas de como você a exerce na sua vida diária. Quero saber!



Estudante da vida e suas conexões, professora por ofício e vício, pesquisadora por necessidade, ajuda as pessoas a atingirem suas metas de modo personalizado, barato e sem justificativas usando a Educação como principal ferramenta.

Diga-nos o que achou do post: