Inclusão das pessoas com deficiência no Brasil

Oi pessoal.
Sou Tiago e esta é minha primeira coluna no portal globalizando.

Primeiramente, gostaria de agradecer a equipe desta página web pela oportunidade de postar minhas ideias.
Em geral meus textos abordarão os direitos sociais, tema que tenho um pouco de conhecimento devido minha formação em direito, mas também falarei sobre outros temas, como minha experiência pessoal, já que não possuo visão, isto é, sou cego.

Nesta primeira coluna, tratarei sobre a inclusão da pessoa com deficiência. Antes desta temática, porém, acredito ser necessário que eu fale um pouco sobre minha história.

Nasci com deslocamento de retina, fiz quatro cirurgias, para tentar corrigir esta situação, mas elas não foram bem sucedidas e fiquei sem a visão. Por esta razão, sempre percebi, desde cedo a necessidade de adaptação curricular, para que eu tivesse acesso a educação.

Como eu não consigo ler a escrita normal, isto é, em “tinta”, aprendi braille, depois, na minha adolescência, comecei a utilizar um programa de leitor de tela, o que me permitiu utilizar o computador, a internet e um celular e me comunicar melhor com as outras pessoas, além de ter um melhor aproveitamento dos conteúdos escolares. No entanto, muitos deficientes visuais não tem acesso a estas oportunidades, muitos ainda não frequentam a escola, existe existe, muitas vezes, o preconceito familiar, se faz necessário, que todos os entes governamentais, federal, estadual e municipal tenham políticas para incluir as pessoas deficientes visuais, que haja uma política educacional de ensino do braille para as crianças que estão sendo alfabetizadas, que as crianças cegas tenham acesso a computadores e a programas com leitores de tela.

Já existem diversas normas internacionais e nacionais que abordam esta temática, como a declaração de Salamanca, que postula que a educação das pessoas com necessidades especiais e que a equalização de oportunidades à estas pessoas sejam assumidas pelos países signatários. E que pode ser lida neste link: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf .

A constituição brasileira de 1988 também aborda este tema, bem como o estatuto das pessoas com deficiência lei n° 13146 de 2015.
Resta, agora, que todas as esferas governamentais, bem como todos os três poderes em todos os níveis (poder legislativo municipal, vereadores, deputados estaduais, federais, justiça federal e estadual), continuem se esforçando para garantir a efetividade destas leis e compromissos internacionais assumidos pelo Brasil.

A constituição brasileira de 1988 também aborda esta temática.



Diga-nos o que achou do post: