Governo de Minas decide comprar doses da vacina Sputnik para a imunização dos mineiros

 

Em reunião nesta sexta-feira (25/6), tendo como pauta a aquisição das doses da vacina produzida pela Rússia, a Sputnik, o governador Romeu Zema, conversou por videoconferência, com os seus secretários. Participaram desta reunião, o secretário de Saúde, Fabio Baccheretti; de Planejamento e Gestão, Luísa Barreto; Geral, Mateus Simões; e o advogado-geral do Estado, Sérgio Pessoa.

Segundo o governador do Estado, neste momento o objetivo principal é acelerar a vacinação de todos os mineiros. Somente com toda a população imunizada é que vai se evitar a transmissão do vírus da Covid-19. Por isso, o Governo de Minas, procurou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e solicitou a autorização para a importação das doses da vacina, já que está adiantada a negociação com o Fundo Soberano Russo.

Com a aprovação da Anvisa, o Estado espera adquirir inicialmente 200 mil doses do imunizante, referente à 1% da população de Minas, permitido pela agência reguladora. Levando em conta também o prazo estabelecido para a entrega.

Encaminhamos à Anvisa o pedido de autorização para a importação extraordinária da vacina russa, a Sputnik. Caso esta autorização seja emitida, o Governo de Minas já está negociando com o Fundo Soberano Russo, em estágio avançado, a aquisição de doses que vão possibilitar a imunização muito mais rápida de toda a população do estado. Seguimos trabalhando de forma incansável, com todas as possibilidades que existem no mundo para que o mineiro seja imunizado o quanto antes, estamos fazendo tudo o que é possível”, declarou Zema.

Imunizantes

O Estado recebeu nesta quinta-feira (24/6), o 27º lote com 778.320 doses de imunizantes, que foram encaminhados para a Central Estadual de Rede de Frio para armazenamento, depois de conferidos. Foram 346.800 doses da CoronaVac, 149.550 da Janssen, 281.970 da Pfizer. Este carregamento completa o lote enviado pelo Ministério da Saúde.

Seguindo o Plano Nacional de Imunização (PNI), pelo Ministério da Saúde, as doses da Pfizer serão destinadas as pessoas com comorbidade, gestantes e puérperas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente. A CoronaVac  segue para a imunização das Forças de Segurança e Salvamento e Trabalhadores  da Educação do Ensino Básico e do Ensino Superior.

Já as vacinas da Janssen, recebida pela primeira vez pelo Governo de Minas, serão destinadas as pessoas com comorbidades e com deficiência permanente. Diferente dos outros imunizantes, a vacina da Janssen é aplicada em dose única, sendo o quarto utilizado no Brasil contra a Covid-19.



Jornalista profissional pela Universidade Estácio de Sá - BH. Trabalhou com análise de Mídia e Monitoramento e Produção de Clipping de Noticias na empresa Idéia Fixa - Gestão da Informação.

Diga-nos o que achou do post: