Ferroviária resiste ao Corinthians e fatura bicampeonato brasileiro

    Após empate no tempo normal, Guerreiras Grenás se consagram na disputa de penalidades máximas;

    Após avançar nas quartas e semis por intermédio de penalidades máximas (contra Santos e Avaí/Kindermann), a goleira Luciana se consagrou mais uma vez, ao defender a cobrança da lateral-esquerda Tamires, da Seleção Brasileira, e realizar defesas difíceis no decorrer da partida. As comandadas de Tatiele Silveira terminaram a primeira fase em sétimo lugar, com sete vitórias, nove empates e cinco derrotas, além de 27 tentos feitos e 14 sofridos.

    E, na data de 29/09/2019, o estádio do Parque São Jorge (São Paulo) receberia o jogo de volta da grande final do Campeonato Brasileiro Feminino 2019 entre Corinthians e Ferroviária. Após empate por 1×1, na Arena da Fonte Luminosa, o jogo decisivo era acompanhado por cerca de oito mil torcedores que presenciariam as mais novas bicampeãs nacionais (ambas as equipes tinham um título conquistado).

    As donas da casa pressionariam desde o início do jogo e desperdiçariam chances através de Pardal, Giovana Crivelari e Milene, tendo a goleira Luciana salvado a equipe da Ferroviária. As ações das Guerreiras Grenás tiveram destaque em chance desperdiçada por Aline Milene, que parou em grande defesa de Lelê com os pés.

    Já na segunda etapa, Tamires e Milene desperdiçaram as melhores chances do alvinegro paulista. A goleira Luciana seguia salvando a equipe da Ferroviária e, no final da partida, salvou dois arremates de Milene para manter o zero no placar e levar a disputa para os pênaltis.

    Victoria Albuquerque abriu as cobranças para o Corinthians e converteu, assim como Luana para a Ferroviária. Na segunda cobrança, Tamires chutou e Luciana defendeu, ao passo que Aline Milene fez para a Ferroviária. Gabi Zanotti converteu e empatou para o Corinthians, mas Andreia pôs a equipe visitante em vantagem novamente. Após Ingryd chutar para fora e Géssica converter, as Guerreiras Grenás puderam comemorar seu bicampeonato nacional, após conquistar o título em 2014.

    Depois de sete edições disputadas, e seis conquistas paulistas (Centro Olímpico (2013), Rio Preto (2015), Santos (2017), Corinthians (2018) e Ferroviária (2014 e 2019)) versus uma conquista carioca (Flamengo/Marinha-RJ (2016)), as Guerreiras Grenás alcançam a hegemonia nacional, sendo as únicas bicampeãs brasileiras. Agora tanto elas quanto as atletas do Corinthians voltam suas atenções para a disputa da Copa Libertadores, em outubro, a ser disputada em Quito (Equador).

Veja mais:

Descubra a história das meninas da Ferroviária

Casamento e futebol, união de dois clássicos

 



Graduado em Administração na UFRRJ, Apaixonado por Futebol, Flamenguista por Opção, Geek por Natureza, Carioca de Nascimento, Amante de Livros, Cinéfilo, Curte Contar/Apreciar Boas Histórias e Experiências de Vida, Autor do livro "Veredas da Vida: Poéticos Conselhos" (Chiado Books), Sempre em Busca de Novos Objetivos.

Diga-nos o que achou do post: