ENTENDER É UM ATO RACIONAL, QUERO QUE SINTAM MEU GOSTO E AS PALAVRAS SE TORNARAM DESNECESSÁRIAS

Sou eclético para experimentar os espíritos e os universos. Escrever foi para que nasci, não vejo nada fazer sentido sem espírito livre, pois  tudo que prende não é amor e amor é sentir livremente.

Amei sim, muitos lugares, porém, não sugiro à ninguém que volte ao lugar que amou, pois aquele tempo não estará lá senão na memória.

Sou um livre poeta sem ideologias, apenas quero me divertir na vida, afinal, para que serve um brinquedo senão para usar a imaginação, a liberdade?!

Entender é um ato racional, quero que sintam meu gosto e as palavras se tornaram desnecessárias.

Vou ficar velho e levar toda bagagem da vida comigo no caminho do fim, e quando lá estiver chegando com minhas saudades, no mesmo ponto de partida onde me iniciei, então partirei para um novo início de um eterno retorno.

Nenhuma coisa boa torna seu possuidor feliz, à não ser que esteja habituado com a possibilidade de perda. O que se perde afinal se nada se nada da vida levamos? A vida que levamos aqui é a vida que aqui ficará, se porém valer ser folheada, imortal se tornará nas obras, legado.

Somos todos seres incríveis e temos que fazer desta vida um verdadeiro espetáculo, de sorte que venha valer a pena essa existência. Todos podemos nos encontrar dentro de um modo gostoso de se viver, onde haja leveza, aceitação e prazer em fazer o que se faz.

Quero ser lido, quero me manter vivo em todo o momento em que me lerem. Agora, a sua vida deve ser interessante, pois uma vida desinteressante será esquecida, e a morte é ser esquecido, pois você morrerá de verdade quando você for totalmente esquecido, e só se é esquecido se a vida não for interessante, se não valer a pena ser folheada. Vida sem legado positivo é anular a participação na vida.

Infelizmente muitos perdem a sensibilidade do que é viver bem. Viver bem é ter a capacidade de aceitação da vida como ela acontece e ao mesmo tempo tenha a envergadura de espiritualidade para ação transformadora que transforma cenários desfavoráveis em sonhos realizados. Tudo com leveza e respeitando cada ser humano como ele é, sem julgar ou apontar com condenação ou reprovação, afinal, a vida é plural e complexa, tudo é muito difícil, cabe portanto respeitar os universos.

Enfim, entender é um ato racional, quero que me sintam, percebam no espírito o meu sabor,  comam meus pensamentos sem medo da liberdade. Quero que os seres humanos tenham liberdade, sem medo da religião ou de quaisquer tipo de tirania ou ditadura. Quero que vocês sejam protagonistas de suas próprias existências e flutuam sobre tudo e sejam imparciais.

” A vida só se justifica se for repleta de heroísmos, e as maiores obras do mundo foram feitas por amor, ele pois para si aquilo que amas fazer, deixe que ela te mate, viva por ela e por ela morra. ”

FILÓSOFO NILO DEYSON MONTEIRO PESSANHA

 



FILÓSOFO, ESCRITOR, POETA, COLUNISTA & PALESTRANTE. Fundador da Filosofia da imparcialidade participativa. Autor do livro de Filosofia Todos os Corações do mundo, e do Livro O Teatro da vida e a interpretação das coisas, quem nos garante ser verdade das coisas. Membro de diversas instituições culturais como por exemplo, é imortal acadêmico da Academia de Letras do Brasil seccional Campos dos Goytacazes, é imortal Acadêmico da Academia Pedralva Letras e Artes, ocupante da cadeira n°17 , Fundador do NAISLA, Núcleo Acadêmico Italiano di Scienze, Littere e Arti. Membro de diversas instituições. Nilo Deyson Monteiro participou de diversas antologias, periódicos e muitos de seus trabalhos acadêmicos estão no Google ao pesquisar Filósofo Nilo Deyson.

Diga-nos o que achou do post: