Em chuva de gols, Fluminense bate Grêmio no Olímpico de virada

    Equipe carioca ressurge das cinzas e consegue os três pontos na casa dos gaúchos;

    Em jogo disputado pela terceira rodada do Brasileirão, dois técnicos badalados do campeonato nacional mediram forças. O duelo entre os tricolores gaúcho e carioca marcou o encontro de duas filosofias agressivas de jogo em capo: do lado dos gaúchos, o consolidado técnico Renato Gaúcho enfrentava os cariocas comandados por Fernando Diniz. Ambos técnicos possuem equipes com futebol dinâmico e atuante, em que a posse de bola incisiva traz à tona um futebol consciente e tático.

    A equipe do Grêmio começou avassaladora e em pouco mais de 20 minutos de partida, já estava com o placar de 3×0 a seu favor. Os atacantes André e Éverton (“Cebolinha”) marcaram aos 6 e aos 13 minutos, respectivamente. O meia, revelação da base, Jean Pyerre, ainda anotou o terceiro dos gaúchos e botaram assim a equipe carioca em maus lençóis.

    Todavia, o Fluminense conseguiu encostar no placar ainda no primeiro tempo, pelos pés do atacante colombiano Yony González e do atacante Luciano, após falha do goleiro Júlio César (ex-Fluminense). Com os dois tentos, a equipe carioca foi para o intervalo inflamada pela reação, no final da primeira etapa.

    E assim ela se manteve no segundo tempo, pois o zagueiro Matheus Ferraz empatou a partida em 3×3 e, após a penalidade convertida pelo atacante Pedro, a equipe carioca conseguiu a virada sobre o Grêmio num 4×3 que parecia improvável.

    Mas o jogo ainda reservaria mais emoções aos adeptos de ambas as equipes: o zagueiro argentino Kannemann empatou a partida novamente para os gaúchos, 4×4 no placar. Até que, aos 92 minutos de partida, mais uma vez o atacante colombiano Yony González colocou o tricolor carioca na frente e botou a cereja do bolo nessa partida recheada de gols. O atacante sofreu com gritos racistas, por parte de alguns torcedores do Grêmio, após marcar o gol da vitória de sua equipe, mas isso não estragou a festa dos comandados dele e de seus companheiros de equipe em uma noite que foi triste para os goleiros, mas animada para os torcedores que foram acompanhar esta partida banhada em emoção do apito inicial até os derradeiros minutos.

Veja mais:

Novas Regras no Futebol Brasileiro em 2019

Quem Ganhou, Perdeu… E Quem Perdeu, Passou de Fase!

 



Graduado em Administração na UFRRJ, Apaixonado por Futebol, Flamenguista por Opção, Geek por Natureza, Carioca de Nascimento, Amante de Livros, Cinéfilo, Curte Contar/Apreciar Boas Histórias e Experiências de Vida, Autor do livro "Veredas da Vida: Poéticos Conselhos" (Chiado Books), Sempre em Busca de Novos Objetivos.

Diga-nos o que achou do post: