Dois Poetas Carlos Drummond & Nilo Deyson

São duas épocas diferentes, dois espíritos que se encontram na poesia quando lidos pelos leitores. Carlos Drummond de Andrade e Nilo Deyson Monteiro Pessanha. Um passou, outro passarinho. Um é gigante, outro tão pequenininho. Um é monstro da poesia, outro fragmentos de uma incógnita.

Fazer poesia é como quem cria uma receita deliciosa, sempre inédita, sempre real no presente de alguém. Basta ler poesias, saber quem a escreveu para se sentir acolhido pela poesia.

Carlos Drummond ou Nilo Deyson, ambos serão sempre regência de ótimas poesias. Todos podem encontrar poesias de ambos ao pesquisar no Google pondo o nome de cada um desses poetas.

Não é questão de saber quem foi melhor, mas sim, é ter ambos no mesmo universo da poesia como proposta de pesquisa. São poetas bem diferentes, no entanto, iguais na categoria poesias boas.

No Brasil, temos muitos bons poetas na atualidade, bem como na história, e nos dias atuais, em vida, hoje, em 2022, Nilo Deyson Monteiro Pessanha, vem apresentando ótimas poesias e de muita reflexão. Carlos Drummond é um de nossos reis da poesia, um monstro consagrado. Portanto, a imagem de dois poetas juntos em Copacabana, um deles é vivo, enquanto que o outro se eterniza como estátua, fica portanto eternizado o encontro aqui, no Portal Globalizado.

Quem quiser pesquisar sobre cada um deles, terão muito material publicado, basta pesquisar no Google. A poesia agradece tanto talento junto. Poderíamos elencar Vinicius de Moraes, Augusto dos Anjos, Clarice Lispector, Manoel Bandeira, Fernando Pessoa, Carlos Augusto Souto de Alencar, Roberto Acruche, Ronaldo Júnior, entre outros que poderiam ser colocados como grandes poetas que passaram e que estão passando neste país, para marcar a história da poesia brasileira.

Enfim, a imagem acima diz muita coisa. Não é qualquer imagem, ela é acima de qualquer suspeita, a união da poesia pelos poetas de gerações diferentes. Nilo Deyson é super fã de Carlos Drummond, sempre foi leitor de suas poesias. Nilo Deyson é mais romântico e enigmático, enquanto que Drummond era direto e imprevisível, encantava pelo inédito.

” Vida minha, passaste tão depressa que não me deste o tempo para temperar pelo que deixei de falar no tempo dele, quando aqui, eu ainda não estava.”  Nilo Deyson Monteiro Pessanha



FILÓSOFO, ESCRITOR, POETA, COLUNISTA & PALESTRANTE. Fundador da Filosofia da imparcialidade participativa. Autor do livro de Filosofia Todos os Corações do mundo, e do Livro O Teatro da vida e a interpretação das coisas, quem nos garante ser verdade das coisas. Membro de diversas instituições culturais como por exemplo, é imortal acadêmico da Academia de Letras do Brasil seccional Campos dos Goytacazes, é imortal Acadêmico da Academia Pedralva Letras e Artes, ocupante da cadeira n°17 , Fundador do NAISLA, Núcleo Acadêmico Italiano di Scienze, Littere e Arti. Membro de diversas instituições. Nilo Deyson Monteiro participou de diversas antologias, periódicos e muitos de seus trabalhos acadêmicos estão no Google ao pesquisar Filósofo Nilo Deyson.

Diga-nos o que achou do post: