Considerações sobre o tempo

Com a revolução tecnológica onde tudo podemos estar em vários lugares ao mesmo tempo, realizar diversas tarefas através de uma tela, falar com pessoas e participar de reuniões internacionais tornou-se algo tão comum, que por um momento acreditei que seria a solução de conflitos de toda humanidade.

Nos deparamos com pessoas cada vez mais solitárias, índices de suicídios aumentando, jovens e crianças tristes e sem referências relevantes, homens e mulheres atrás esquecendo-se de seus valores. E foi aí que pude observar o grande diferencial, até maior que o avanço tecnológico das novas gerações, algo divino e absoluto: o tempo.

O tempo passou a ser irrelevante e sem valor. Perdemos tanto tempos nas redes sociais, porém não temos 5 minutos para orar; horas e horas maratonando seriados, mas sem tempo para encontrar alguém ou ajudar um amigo. Vínculos são criados com o tempo e sua intensidade, por isso a desvalorização dele faz com que as pessoas passem a ter relações tão profundas como um prato raso.

Somente quando voltarmos a observar o tempo como o senhor absoluto e valorizarmos cada momento, porque sim ele é único, vamos conseguir evoluir não só como ser humano, mas como sociedade. Isso vale para relacionamentos e problemas.

Quando encontrar um obstáculo grande na vida, respire, encare como uma grande lição e não desanime, pois o tempo também tem o poder de transformar grandes problemas em pequenos problemas e isso acontece não porque o problema diminui, mas porque o tempo nos oferece a oportunidade de crescimento diante a superação de todos nossos impasses.

Platão e outros filósofos gregos defenderam que o tempo era ilimitado na direção do passado. Filósofos medievais desafiaram esta noção, apresentando a ideia de finitismo temporal, a ideia de que o tempo teria um passado limitado e, portanto, um começo.

E para você nobre leitor, acredite: vai passar, você sabe que vai passar. Tudo acontece no tempo Dele. Para as pessoas agradecidas, o tempo não permite que nenhuma dor insista por muito tempo. Que todas as dores sejam lições e as feridas superadas, assim como os filósofos acreditavam, que seja um recomeço.



Pedagoga, Psicopedagoga, Folclorista, Escritora, Catireira- nascida e criada em Araçatuba, interior de São Paulo

Diga-nos o que achou do post: