Como saber se um carro seminovo é bom para comprar?

A conquista de um veículo faz parte de uns dos maiores objetivos de vida de grande parte dos brasileiros desde sempre, porém, há uma série de obstáculos a serem superados antes, durante e após a compra do carro. Se você está em busca desse sonho não deixe de conferir essas e mais dicas neste blog, onde vamos ajudá-lo durante toda a jornada, desde o planejamento até os momentos posteriores à compra. 

 

Devido à situação atual, grande parte dos brasileiros recorrem aos veículos usados para suprirem a necessidade de um automóvel, e neste momento todo cuidado é pouco, pois seu grande sonho pode virar um pesadelo se não for extremamente seletivo e souber como e onde procurar.

 

Confira agora passos fundamentais que devem ser levados em conta e analisados durante a procura pelo automóvel.

Teste o carro 

Sempre peça para ver o veículo e, se possível, utilizá-lo para verificar se existem problemas que só iriam aparecer com o uso prolongado do carro. Mas isso não tira a importância do test drive, afinal, quanto mais reduzirmos as chances de um problema, melhor.

 

No momento do teste procure por anomalias, marcas de batidas, arranhões e amassados – tudo isso deve ser levado em conta, já que isso deprecia o valor do veículo.

 

Na direção, fique atento à perda de força, falha na ignição, problemas na direção, falha nos freios, motor excessivamente quente, problemas nos indicadores do painel, diferença no volante e câmbio.

Atenção aos ruídos

Motor excessivamente ruidoso pode ser sinal de problema ou alterações por parte do proprietário, e essas informações têm que ser consideradas. Assim como o som de peças batendo ou até mesmo da lataria.

Funções básicas

Até mesmo um carro em perfeito estado pode não atender às suas necessidades perfeitamente, como por exemplo com relação ao conforto da sua família. Você não pode exigir do veículo atividades que não esteja na proposta do mesmo como o tipo de estrada onde vai andar, por exemplo.

Conforto

Nem sempre é dada a atenção necessária para este ponto que é extremamente importante, tendo em vista que o veículo fará parte do seu dia a dia e de sua família. Com você despendendo grande parte do seu tempo dentro dele, e até mesmo os veículos sem nenhum defeito mecânico pode não atender às suas exigências, como ar-condicionado, vidro elétrico, disposição dos botões, entre outras especificidades de cada pessoa.

Vistoria 

Antes de efetuar a compra do veículo, leve-o para um especialista a fim de realizar um checkup geral, onde podem ser encontrados pequenos problemas e uma inspeção completa no motor. Tudo isso deve ser levado em conta e posteriormente será usado para se chegar ao valor da venda.

Avalie os preços

A cada ano que se passa, o valor dos veículos muda. Antes mesmo de fazer uma proposta, confira a tabela Fipe, onde há atualizações mensais sobre a média de valores de carros, motos, ônibus e caminhões. Confira os fatores a serem levados em conta:

 

  1. Ano de fabricação;
  2. Alterações no veículo;
  3. Histórico de acidente;
  4. Quilometragem rodada.

Histórico e Seguro

Seguro veicular é algo que não pode faltar, com cobertura contra roubos e, principalmente, acidentes. 

 

Por isso, antes de tudo tenha em mente o valor adicional que precisará ser investido no seguro.

 

O histórico de acidentes, manutenção e de problemas do carro é outro fator vital que não deve ser ignorado de forma alguma na hora da pesquisa e da compra do veículo. Com essas informações você vai estar se prevenindo de maiores gastos e dores de cabeça no futuro.

Quem está vendendo e qual o motivo

Por fim, precisamos conhecer o vendedor. Não é necessário entender completamente sobre a vida do outro, mas qualquer informação que puder adquirir será bem-vinda. Afinal, não adianta adquirir o veículo e ter que enfrentar diversos problemas com o antigo proprietário. Procure entender o real motivo da venda, se é por problemas no carro ou externos e, principalmente, pesquise o histórico dele em outras transações.

O barato que sai caro

Diante de uma realização tão grande e importante, todo cuidado é pouco, pois há diversos problemas que podem surgir. Portanto, para minimizar ainda mais os riscos, olhe no manual do carro onde consta informações indispensáveis, como as revisões que foram feitas, ou as revisões necessárias e que não foram realizadas em uma concessionária autorizada.

 

Outro ponto que não se pode deixar passar é o Laudo Cautelar, nele contém informações que às vezes podem ser ocultas pelo vendedor, como o estado do chassi, situação da parte elétrica e mecânica. O Laudo também avalia a situação dos documentos, verificando se é autêntico e se existe alguma irregularidade, minimizando assim ainda mais o risco de cair em golpes. Os custos do Laudo Cautelar devem ser assumidos pelo vendedor do veículo.

 

Faz-se necessário verificar também nos órgãos competentes a procedência do veículo, se há alguma irregularidade com a numeração, placa e documentação. Multas e impostos em atraso ficarão a cargo do proprietário, logo, não deverá haver pendências na hora da transação.



Diga-nos o que achou do post: