Como a qualidade do ar pode influenciar o surgimento de problemas respiratórios?

Cada vez mais pessoas estão desenvolvendo problemas respiratórios. A poluição e a péssima qualidade do ar são grandes inimigos do sistema respiratório, levando impurezas e substâncias estranhas ao organismo humano, o que acarreta problemas graves de saúde.

Pessoas que trabalham com agentes químicos e são expostos a longos períodos, a fabricação de telhas de amianto e até passar o dia perto de uma via com alta circulação de veículos pode prejudicar a saúde.

Mas, como isso acontece, exatamente? Existe algum tipo de predisposição genética? Pessoas em condições boas de saúde podem sofrer com problemas respiratórios e outras doenças?

Essas e outras perguntas serão respondidas hoje, aqui no blog da Sepam. Afinal, cuidar da sua saúde é nossa maior prioridade!

O que são problemas respiratórios?

Dificuldades para respirar e doenças que atingem o sistema respiratório são bastante comuns. Isso não significa que devemos fechar nossos olhos para as causas delas e viver como se nada estivesse acontecendo.

Os problemas respiratórios são doenças que atingem os órgãos e outras estruturas do nossos sistema respiratório. Isso inclui:

  • As vias nasais;
  • Faringe;
  • Laringe;
  • Brônquios;
  • Traqueia;
  • Diafragma;
  • Pulmões;
  • Alvéolos pulmonares.

Todas essas partes do sistema respiratório podem acabar sofrendo com inflamações e até infecções, que dificultam a passagem do ar e causam alguns dos transtornos mais comuns, além de alergias e outras doenças.

Os principais problemas respiratórios

  • Asma;
  • Rinite;
  • Sinusite;
  • Pneumonia;
  • Tuberculose;
  • Bronquite;
  • Entre outras.

Asma

A asma é uma doença inflamatória crônica. Incide mais em crianças, mas não está limitada a nenhuma faixa etária. Ainda não descobrimos a cura para essa doença, mas é possível viver bem ao seguir o tratamento indicado pelo especialista, além de tomar cuidado no dia a dia. Com o passar do tempo, é possível que os sintomas sejam reduzidos e até que desapareçam.

As causas da asma estão comumente relacionadas a agentes ambientais e fatores genéticos. Pessoas expostas a partículas de poeira, ácaros, fungos, e até variações no clima e na umidade estão propensas a desenvolver a doença.

Rinite

A rinite é um pesadelo para muitos. Algumas pessoas desenvolvem sintomas que duram por meses, sendo acometidas por crises diárias. Essa doença é uma inflamação, que pode ser infecciosa, alérgica ou irritativa da mucosa interna do seu nariz. Com isso, gera coriza, coceira e espirros, que podem persistir o dia todo, enquanto houve a presença de um agente alergênico ou infeccioso no ambiente.

Sinusite

A sinusite pode ser causada por fatores alérgicos, como partículas de poeira, choque térmico, exposição a agentes químicos e outros. Mas, também pode ser causada pela presença de bactérias, fungos e vírus. É uma inflamação que atinge os seios da face, cavidades ósseas no crânio, acumulando secreção em volta do nariz, olhos e maçãs do rosto.

Pode durar menos de 12 semanas, sendo considerada aguda, ou mais, sendo considerada crônica.

Pneumonia

Essa é uma doença grave. Ela acomete os pulmões, podendo comprometer também os alvéolos pulmonares e interstícios. Um agente infeccioso, ou seja, um vírus, fungo, alergênico ou bactéria entra no pulmão, dando início à infecção.

Pessoas com um sistema imunológico fraco estão sujeitas a ter pneumonias com certa frequência. A doença em si não é contagiosa, mas pessoas que lutam contra HIV, câncer ou que sofrem de estresse estão sujeitas a serem contaminadas ao entrar em contato com partículas infecciosas.

Tuberculose

Outra doença gravíssima e que pode levar à morte, a tuberculose é altamente contagiosa e um inimigo antigo da humanidade. Pode atingir outros órgãos, como os rins, pele, ossos, gânglios e outros tecidos.

É fácil se contaminar com Tuberculose, mas felizmente, o SUS faz um trabalho incrível na prevenção e contenção de casos da doença, o que envolve quarentena e visitas periódicas para acompanhar a evolução do paciente. Qualquer lugar que apresenta um bacilo de tuberculose é um potencial fator contaminante.

Bronquite

Essa é uma das doenças respiratórias mais comuns. Estamos falando de algo que acomete os brônquios, gerando uma inflamação, tornando a respiração mais difícil, já que a passagem de ar é prejudicada.

Agentes infecciosos, como vírus e bactérias podem causar a doença, mas a poluição, o uso recorrente do cigarro e até alergias podem contribuir para o aparecimento dos sintomas.

Quem é mais propenso a sofrer com as doenças respiratórias?

Pessoas com baixa imunidade são mais suscetíveis a desenvolver problemas respiratórios, mas isso não significa que pessoas aparentemente saudáveis estão imunes. Uma pessoa sem histórico de problemas no sistema respiratório pode vir a desenvolver qualquer uma das doenças citadas, e algumas evoluem silenciosamente ao longo do tempo.

A boa notícia é que existem tratamentos para a maioria das doenças respiratórias. Algumas ainda não têm cura, mas com a administração de medicamentos e consultas periódicas, é possível viver uma vida saudável e tranquila, tomando os devidos cuidados.

O que pode agravar o quadro de doenças respiratórias?

Alimentação errada, excesso de peso, doenças como o câncer e o HIV, entre várias outras, podem agravar doenças respiratórias, mesmo as mais comuns.

Pessoas que vivem em áreas com baixa qualidade do ar também estão propensas a desenvolver vários transtornos respiratórios. Isso inclui moradores nas imediações de fábricas e áreas industriais, pessoas que moram perto de vias altamente movimentadas, como avenidas, estradas e ruas de alta circulação, quem trabalha com agentes químicos, na fabricação de amianto ou em locais com gases tóxicos e espaços confinados, entre outros.

Baixa qualidade de vida também é um fator decisivo para causar problemas respiratórios. Pessoas em áreas de menor desenvolvimento socioeconômico estão sujeitas a terem menos condições de higiene, o que pode agravar o problema de doenças como a tuberculose, por exemplo. Daí a importância de haver o controle dessa e de outras doenças potencialmente causadoras de epidemias.

Como tratar as doenças respiratórias?

Os tratamentos variam de acordo com cada doença. O médico responsável por você é o único capaz de receitar medicamentos e tratamentos para suas doenças respiratórias. É importante ter cuidado com a administração de remédios por conta própria, pois várias das doenças citadas apresentam sintomas em comum, e se medicar sem um diagnóstico preciso pode, inclusive, agravar seu problema.

Venha para a Sepam! Se você apresenta algum sintoma de problemas respiratórios, se já foi diagnosticado e busca um tratamento, saiba que somos especialistas em cuidar dos ouvidos, nariz e garganta, mitigando ou eliminando doenças respiratórias, conforme suas possibilidades de tratamento.

Agende sua consulta agora mesmo.



Diga-nos o que achou do post: