Brasileiras cada vez mais vulneráveis

Ele Estuprou o Brasil

Por enquanto, nenhuma novidade no Brasil nesse momento, só mais um escândalo sexual, que chocou a nação.

No entanto, não digo isto com sarcasmo, mas com a tristeza de alguém que vê isso como uma detestável rotina em nossa terra. 

Apenas mais um ato de crueldade em um país de medidas continentais que demonstra fragilidade legal e moral consoante a sua imensidão. 

Tal qual a sua grandeza territorial é a sua gigantesca lista de escândalos, imoralidade, e perversão. 

Como diz o provérbio popular: “triste não é ser traído por um inimigo, triste mesmo é ser traído por alguém em que mais se confia”.

De fato, é triste  ser enganado por alguém que detém em suas mãos o dom da medicina.  Esse talvez seria o último a levantar qualquer suspeita. 

O Falso Médico

Falo de um médico, “suspeito do estupro” de uma mulher que acabara de dar a luz a um filho. Um maníaco escondido atrás de um CRM. Que com toda a certeza, posso chamá-lo de um  Falso Médico.

Discorrro sobre alguém que tem o dom de salvar vidas , mas alimentado por sua perversão resolveu matar. Ele não matou a carne mas, matou sentimentos, é como se matasse suas almas. 

Ele estando apropriado desta confiança surrupiou a dignidade de pessoas em situação de fragilidade. E ainda, em questão de segundos manchou sua própria imagem, pois a categoria que antes representava não é merecedora de tamanha vexação. 

Certamente, ele agora é o protagonista de uma história que marcará uma vida para sempre. Incontáveis sessões de terapia são incapazes de apagar essas marcas. 

O referido “suspeito”, como dizem os jornais; aquele do qual é dito: “o Ministério Público aceitou a denúncia contra ele”(seria uma piada se não aceitasse), é o algoz da confiança das mulheres fragilizadas. 

Ele tem Direitos

E agora, o que resta? Instrumentos jurídicos usados pelos advogados de defesa para defender o indefensável.  Sim, ele tem direitos, aquele que infringiu da mais violenta forma o direito daquela mulher  indefesa. 

Evidentemente, se não houvesse alguém de coragem para registrar o ato, seria apenas mais uma denuncia sem provas. Se não fosse isso, continuaria cometendo sua barbárie no momento mais especial da vida dessas mulheres. 

São todas Mães

Mães solteiras, mães casadas, mães pobres, mães ricas, brancas, pretas, amarelas, não importa. Mães, de maneira nenhuma podem se tornar mães violentadas, SÃO MÃES, nenhuma delas merece  receber tamanha brutalidade. 

Nesse momento, o que eu não gostaria de ouvir é aquela velha historinha que tem inocentado a muitos, o famoso “exame de sanidade mental”.

Estupro de Vulnerável

O caso configura como estupro de vulnerável, um agravante do crime de estupro. 

Configura como estupro de vulnerável qualquer ato libidinososo que envolva menores de 14 anos de idade, pessoas com alguma enfermidade deficiência mental ou que não possam apresentar resistência para o ato.

Lembrando que, ele a sedou exageradamente para dessa forma poder abusá-la. 

Enquanto o crime de estupro tem pena prevista de 6 a 10 anos, a pena em caso de condenação de estupro de vulnerável aumenta para entre 8 e 15 anos. 

Desejo que cumpra toda a pena, mas duvido que cumpra.

Prisão Perpétua

Por fim, sou terminantemente a favor de prisão perpétua para esse tipo de crime. Um crime hediondo, inaceitável, mas que, devido aos inumeráveis recursos existentes em nossa legislação, é possível que em breve esse estuprador esteja nas ruas. 

De fato, ele estuprou o Brasil; as Brasileiras estão cada vez mais vulneráveis. O país daqueles que ainda acreditam no bem, a nação daqueles que prezam pelo amor e pela dignidade foi violentada. 

O Brasil daqueles que apoiam e choram junto com essa mãe e com todas aquelas que, infelizmente, ainda podem sofrer com esse tipo de ação estão indignados.

 



Carlos José, é Cristão, Graduando em Pedagogia pela Faculdade Dom Alberto, Bacharelando em Teologia pelo Instituto Educacional Videira , Articulista e amante da leitura e da escrita .

Diga-nos o que achou do post: