BORDOADAS

 

BORDOADAS

Quando pensamos que já vimos de tudo nesta vida, ela nos surpreende. A vida nos apresenta uma lição a cada dia, desistir jamais! Devemos aprender com as crianças, sejamos humildes. Por causa do orgulho pensamos que sabemos de tudo, mas só quebramos a cara. Temos de nos atentar aos detalhes: uma lágrima significa muito, um olhar perdido representa a desilusão, um passo em falso e caímos na armadilha da paixão. E quando somos vítimas da paixão, a inocência que é a essência da vida é atingida. O amor é o toque sincero na alma, a paixão é a posse da sua vida, é a prisão. E quando estamos presos somos adultos infelizes maltratados pelas bordoadas da vida. Fica o sangue, fica a sujeira, ficam as lágrimas no rosto e os pés empoeirados na estrada da desilusão. Nós não vemos o amor, porque permitimos o mundo descobrir nosso segredo. O mundo invade nossa alma, destrói com o jardim, berço da vida. E quebramos a cara, pensamos em desistir de viver. Mas a vida nos surpreende, e saímos mais forte. Fortalecidos com as cicatrizes, dizendo não ao coração de pedra e a luz da inocência ( humildade para aprender e desviar daquilo que já nos fez mal ) iluminar o caminho do recomeço.

( Autor: Poeta Alexsandre Soares de Lima)



BIOGRAFIA Eu me chamo Alexsandre Soares de Lima, sou poeta romântico e escritor que fala sobre a importância de viver na luz do amor. Nasci em Meriti, no Rio de Janeiro, no dia 22 de Abril de 1976. Iniciei meus estudos aos 4 anos de idade. Estudava no quintal da casa de uma vizinha, a escolinha da Dona Zezé. A partir daí, sempre me dediquei aos estudos. Aos 12 anos, ganhei dos meus pais, de presente de aniversário, uma máquina de escrever. Com ela, a mimha brincadeira preferida era escrever jornalzinho. Sempre gostei de escrever, era um excelente aluno em Língua Portuguesa. Aos 17 anos, talvez movido pela tristeza da separação dos meus pais, após a minha mãe ter saído de casa, ter sumido no mundo, comecei a escrever pensamentos. Eu era um jovem introspectivo, tímido, e escrevia para desabafar, colocar pra fora o que sentia. Depois dos pensamentos, logo passei a escrever poesias. Aos 20 anos, em 1996, eu lanço meu primeiro livro de poesias intitulado ENGRENAGEM, no mesmo ano em que ingresso na Faculdade de Letras. Minha professora de Literatura foi quem organizou a Noite de Autógrafos no salão nobre da faculdade. Ela selecionou alguns alunos para declamarem meus poemas do livro. Em Maceió ( AL ), terra dos meus pais, fiz uma exposição de poesias na Secretaria de Cultura e na Biblioteca do SESC, além de ter declamado em um centro de artes do mesmo estado. Concedi algumas entrevistas para rádios e emissoras de televisão de Alagoas. Em 2005, lanço meu segundo livro intitulado COM O OLHAR FIXO NA ALMA. Com esta obra, fui me aprofundando nos assuntos da alma e do coração. Busquei libertar a poesia que está dentrode cada um de nós. Numa época em que a internet dava seus primeiros passos e era um recurso difícil de ser acessado, eu divulgava minhas poesias nas rádios comunitárias de bairros cariocas e também na Baixada Fluminense. Há 7 anos venho divulgando minhas poesias nas redes sociais. Tenho canal no youtube que se chama POETA ALEXSANDRE SOARES DE LIMA. Lá, diariamente publico vídeos em que eu crio na hora poemas que tocam o coração, mensagens de amor, amizade, esperança, luz e fé em Deus.

Diga-nos o que achou do post: