Bolsonaro e a necessidade do confronto

Desde que foi eleito em 2018, o Excelentíssimo Senhor Presidente da República Jair Messias Bolsonaro vem sendo ator principal de manchetes polêmicas. A cada entrevista concedida nesses mais de 1000 dias de governo, Bolsonaro sempre toca em assuntos delicados e normalmente suas falas viralizam devido ao tom que é normalmente adotado por ele. Sempre que se apontam possíveis problemas em sua gestão, o Jair tenta culpar terceiros ou simplesmente ofende os jornalistas (principalmente se for mulher).

Com a pandemia as atitudes do Presidente se tornaram ainda mais alarmantes, visto que além de incentivar o uso de medicamentos comprovadamente INEFICAZES contra a Covid-19, disseminar fake News, pregar contra as medidas sanitárias sugeridas pela OMS e pela ANVISA, atrasar a compra e distorcer informações sobre as vacinas, o Pr. Bolsonaro se tornou ainda mais truculento durante as entrevistas. Demonstrando uma falta de empatia e desprezo pela vida, o chefe do executivo chegou até a zombar das vidas perdidas. Vendo então como o governo, sob o comando de Bolsonaro, atuou de 2019 até hoje, percebi que o presidente vive criando confusão e me pergunte o porquê disso, note que ainda sim, mesmo com todas as indignidades dessa administração sua aprovação ainda se mantém acima dos 20% de aprovação.

Conhecendo o processo eleitoral brasileiro, esse percentual de aprovação provavelmente o levaria para um possível segundo turno, tendo isso em mente a primeira conclusão que chegamos é de que ele age de tal forma, pois seu objetivo é justamente passar para o segundo turno, contudo devemos ser cautelosos quanto a isso, pois quando chegamos a essa conclusão, presumimos que consequentemente ele irá mudar de tom assim que atingir seu objetivo. Será mesmo? Tenho muita dúvida quanto a isso, visto que mesmo nos raros momentos de paz durante seu governo, o presidente ou algum de seus aliados atuou de forma “competente” para mudar isso. Então é possível chegarmos a uma hipótese de que talvez o confronto e a truculência é a única linguagem que o atual governo entende, eles arruinaram a diplomacia brasileira, que por anos foi motivo de orgulho, fizeram de nosso país um circo de horrores, e nós nos tornamos piada no mundo. Infelizmente precisaremos de muito tempo para recuperar a nossa imagem frente ao mundo, sabendo haver a possibilidade de reeleição, mesmo que a rejeição contra Bolsonaro seja de cerca de 59%, segundo pesquisas recentes, podemos ter a certeza que o Jair não mudará seu tom, a truculência e a falta de preparo é sua essência.



Olá, meu nome é Isabela. Tenho 21 anos e sou estudante de ciências sociais. Amo escrever, principalmente sobre política e filosofia.

Diga-nos o que achou do post: