As Mãos que Sustentam uma Nação.

Quem é que não gosta de ter em suas refeições aqueles legumes e verduras fresquinhos para consumo?

Para isso basta ir até o supermercado ou nas feiras que lá estão eles, prontos para serem consumidos.

Esse consumo vem crescendo cada dia mais.

Foto: Eduardo Fumachi

Estatísticas mostram que ocorreu um aumento significativo de 14% no número de pessoas que passaram a comer mais legumes e deixaram de comer carnes.

Foto: Eduardo Fumachi

 

Segundo a FAO (Food and Agriculture Organization), em 2024 a população mundial será superior a oito bilhões de pessoas. Essa não é uma realidade distante de nós.

O que nos faz entender que será necessário uma oferta muito maior de alimento para as pessoas.

Desse alimento consumido, 70% são legumes, frutas e verduras, e quem produz esses alimentos para a população?

Os produtores rurais.

Esse dos qual ninguém se lembra na hora de consumir seus produtos.

Você conhece o processo para os alimentos chegarem até sua mesa?

Produtor rural é aquele quem tem o “felling” com a terra.

Aquele que a prepara para receber as sementes que no futuro próximo vão servir para alimentar a sua e milhares de famílias.

Ele é quem vai adubar a terra, molhar, plantar e estar sempre atento às pragas que ameaçam perder uma safra inteira. São responsáveis desde a preparação do solo para receber as sementes até a colheita do último legume.

São privados do sono, expostos ao sol, chuva, vento, entre muitas outras circunstâncias.

Necessitam fazer um enorme esforço físico, necessitam de uma grande resistência para exercer seu trabalho dentro da lavoura e fora, para vender, para exportar, para entregar. Não existem pretextos para não ir trabalhar, pois a plantação não tem tempo de espera.

É um comércio que não pode parar, afinal, o que você comeria se eles tirassem um final de semana inteiro de folga?

Com tantas dificuldades e desvalorização, está aumentando o número de pessoas que estão abandonando essa atividade.

Com a produção caindo cada vez mais, a quantidade de alimento disponível no mercado se torna escassa elevando os preços no teto. Você mesmo já pode notar uma diferença nos valores que pagava antes e no valor que paga atualmente pelos produtos que consome.

E há ainda quem diga que dá para se viver sem.

Dá mesmo, sem saúde e sem qualidade de vida.

Além de influenciar na nossa rotina alimentar, influencia no impacto financeiro do país.

O CEAGESP, maior centro de distribuição de legumes do Brasil e o terceiro maior do mundo, movimenta cerca de oito bilhões de reais por ano.

Mais de 20% do PIB no Brasil tem origem na agricultura.

O Brasil atualmente é um dos maiores exportadores de soja, açúcar e milho o que faz da agricultura uma grande peça na engrenagem da economia no país.

Deixo a resposta com vocês agora.

É mais que urgente um plano de ação. Precisamos de estratégias que visam melhorar, valorizar e facilitar a vida dos nossos produtores rurais.

Passamos da hora de ter um governo que lhes dê a importância que merecem. Programas de suporte ao agricultor, estabilidade, auxílios e acesso a crédito, assistência de qualidade e a tecnologia de ponta para facilitar seu trabalho e motivar a continuação.

Ainda estamos em tempo de reverter a maioria dos problemas da nossa sociedade. Quando se quer, se faz.

Caso contrário, arrisco a dizer que estaremos caminhando para o trágico destino dos enlatados e industrializados, lembre-se disso cada vez que estiver consumindo um desses produtos.

Boa sorte a todos nós.

 

Uma homenagem a todos os produtores rurais em especial Luiz e Cezilda Fumachi e Equipe Fumachi Comercio de Legumes LTDA.



Brasileira, Estudante de Biologia, amante de viagens, animais e Natureza. “Certifica-te de que és um fator de soma na vida das pessoas que te cercam" - Cícero

Diga-nos o que achou do post: