As alegrias de cada dia

Vivemos cada vez mais em busca de grandes sonhos e heroicas realizações. Procuramos A missão, A felicidade, A viagem… tudo em maiúsculo. Queremos uma rede social com fotos brilhantes, textos estonteantes, mensagens com imagens maravilhosas. Rezamos por um dia perfeito, por um trabalho espetacular, férias inesquecíveis e um relacionamento completo e definitivo. Tudo tem que ser grande, absoluto, pleno.

Talvez parte do stress que vivemos seja por isso. Vejo pessoas tão insatisfeitas e infelizes e penso: nossa, será que a vida dessa pessoa é tão ruim assim? Será que ela não viu o céu hoje? Sem uma nuvem… um azul deslumbrante, perfeito. Existem dores, problemas e conflitos para todos, mas não é por isso que vamos virar as costas para as pequenas maravilhas cotidianas. Justamente são essas delícias que podem nos dar fôlego para superar os obstáculos e pedras do caminho.

A vida é imperfeita para todos. Todos nós somos imperfeitos. Aceitar isso pode ser o começo de uma trajetória mais leve e feliz. Colecionar pequenas pérolas pode tornar nosso coração mais alegre: um abraço de um amigo, uma gargalhada de um filho, sentir o vento tocar o rosto e dissipar o calor, ouvir uma música que aquece o coração, rir de uma cena engraçada. Valorizar pequenas vitórias e viver momentos encantadores precisa tornar-se um hábito. Quase no final do filme “Cidade dos anjos” há uma cena inesquecível que resume o que tento dizer. O anjo torna-se humano e ao tomar um banho de chuveiro ele maravilha-se com as gotas da água tocando seu corpo. Aquela sensação maravilhosa da água relaxando, limpando e escorrendo pelo corpo é algo que só os humanos podem sentir. Você já viveu isso ou sai do chuveiro pensando se usou ou não o sabonete, pois estava com a cabeça nos problemas do seu dia? Sugiro tomar um banho assim. Sentindo a água tocar seu corpo, molhar seu cabelo, escorrer até os pés. Estar 100% presente naquele momento. Depois me conte o que sentiu…

São pequenos momentos que podem nos trazer grandes alegrias: um banho relaxante, uma comida gostosa, a companhia de pessoas que te alegram, a paisagem que passa pela janela onde você está… O grandioso e perfeito pode ser justamente o efêmero simples e, por isso, divino.



Carioca apaixonada pelo mar e pelas montanhas, hoje vive em Belo Horizonte e é mineira de coração. Ama livros, literatura, cinema e música. Vive uma busca constante em aprender e explorar o mundo, mas cada vez mais se volta para o autoconhecimento e a autocura. Escreve desde sempre: crônicas, resenhas, artigos literários e artigos diversos. Já foi revisora de livros e professora. Agora dedica-se a ler e escrever.

Diga-nos o que achou do post: