Artigo: Triste a nação dos ignorantes

**O texto abaixo, não necessariamente representa o pensamento do site Globalizado, mas sim do seu colaborador.

Gostaria de começar este artigo, com o número de mortes aproximadamente até o momento (20/05/2021), relacionados a Covid19 que é 442 mil.

Todo ser racional sabe que não é número exato, na qual pode ser questionado mas vamos considera-lo.

Quantas vidas interrompidas, quantos talentos se perderam, quantos abraços, sorrisos, quantos lares terão o Natal 2021 incompleto, faltando uma parte importante da família.

Quantas estão lendo agora e surgindo imagens de rostos na memória, daqueles que se foram.

Tudo poderia ter sido menor, se houvesse competência, planejamento, empatia, boa vontade.

Culhão, coragem, pulso forte, mínimo de inteligência, qualificações que faltaram para os nossos governantes. Eliminar o ego, governar para o povo, não para si.

Cegos, surdos e mudos 

Se não tivesse tantos passeios de moto, NEGACIONISMO, insistência que era uma gripezinha, curtir passeio de jet-ski, nadar no litoral paulista, viagens para Miami, abraçar o povo em meio a pandemia.

Campanha de eleições liberadas nas ruas EM MEIO A PANDEMIA, desvios de conduta, de ética, um plano de ajuda de verdade, não um mísero auxílio emergencial de 300, 150 reais.

Lockdown quando necessário lá no começo de tudo, não insistir em medicamento ineficaz, vacinas oferecidas ainda em 2020 e ignoradas, acreditar na ciência um pouco mais e não em conto de fadas.

Existem uma enciclopédia de erros, que apenas encherá este artigo, na qual todos sabemos, mas nem todos possuem CORAGEM de encarar a realidade e assumir.

Quatrocentos e quarenta e dois mil vidas perdidas, na responsabilidade deles que estão no poder.

Responsabilidade daqueles que foram e vão para festinhas escondidas, para aquela gelada no bar em MEIO A PANDEMIA, pegar um sol na praia lotada.

O sangue de UM pelo menos desses 442 mil está nas “mãos” de VOCÊS que tiveram as atitudes citadas acima, e a lei do retorno cobrará, É IMPOSSÍVEL fugir disso.

Triste das nações subdesenvolvidas, na qual seus cidadãos se espelham em governantes para definir como será a sua postura, sua conduta como pessoa na sociedade, indivíduos sem personalidade, nascem, crescem e morrerão como “gados”.

Esse número é ainda maior, pois tem aqueles que morreram e morrerão de fome, de depressão, de suicídio.

Triste dos profissionais que precisam sair para trabalhar, sem assistência, jogado a própria sorte, mesmo assim estão sem condições de comprar o mínimo para ter uma refeição descente.

Caráter é o que eles não possuem, nunca terão e um monte de acéfalo segue o exemplo.



Formado em comunicação audiovisual, hobbie é escrever. Amante de futebol, criador de conteúdo, roqueiro, mente um turbilhão de ideias.

Diga-nos o que achou do post: