Arca das letras: incentivo à leitura para mais de um milhão de famílias beneficiadas

Com o objetivo de promover o incentivo e acesso à leitura no meio rural com a implantação de bibliotecas, a formação e capacitação de agentes de leitura, o então Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), hoje Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), criou, em 2003, o Programa de Bibliotecas Rurais Arca das Letras.

A biblioteca Arca das Letras é um móvel que contém um acervo com volume aproximado de 200 livros distribuídos entre literatura nacional, internacional, infantil e infanto-juvenil. Além desses, estão disponíveis livros didáticos e livros técnicos e especializados nas áreas de administração, saúde, meio ambiente, entre outros.

Em 15 anos de existência o programa já assistiu a mais de um milhão de famílias de agricultores familiares, assentados da reforma agrária, pescadores, remanescentes de quilombos, indígenas, populações ribeirinhas e demais povos e comunidades tradicionais que vivem no meio rural. Até o momento, foram 2,2 milhões de livros entregues em 2.509 municípios brasileiros.

A implantação de uma biblioteca se dá por meio da mobilização da comunidade que decide aderir ao programa, devendo indicar pelo menos dois agentes de leitura, voluntários que serão capacitados pela Sead a fim de que se tornem os responsáveis pelo empréstimo dos livros e pelas atividades culturais e de incentivo à leitura em suas comunidades.

O economista da Subsecretaria de Desenvolvimento Rural da Sead (SDR), Thiago Lopes Cantalice, avalia o programa como possuindo um importante papel na democratização do acesso à leitura atuando como impulsionador no hábito de ler. “A literatura é um rico meio de acesso à fábula e à imaginação, elementos constituintes da essência dos seres humanos. O acesso ao livro deve ser encarado como direito básico, o qual a Sead, por intermédio do programa, busca garantir àqueles que vivem no meio rural do Brasil.”

Como aderir ao programa?

A comunidade deve preencher e enviar formulário de consulta, no qual apresentam-se questões relacionadas a aspectos culturais, educacionais e econômicos, bem como a definição de quem se disponibilizará a se tornar o agente de leitura na comunidade. Definida a possibilidade de atendimento, os solicitantes devem providenciar a construção do móvel, onde os acervos enviados pela Sead ficarão expostos.

O empréstimo das obras e as ações de mediação e incentivo à leitura ficam a cargo dos agentes de leitura, voluntários que emprestam suas casas ou se dirigem aos centros comunitários ou igrejas, onde são instaladas as bibliotecas e dedicam parte do seu tempo à ação cultural na comunidade. No total são 18.500 agentes de leitura espalhados pelo país.

A iniciativa conta com uma importante rede de parceiros que apoiam o programa com a doação de livros e material gráfico e a construção dos móveis-bibliotecas, bem como nas diversas atividades que envolvem a implantação do programa Arca das Letras nas comunidades.

Este ano o programa iniciou a confecção de acervos especiais para a complementação de bibliotecas em escolas públicas rurais, instituições que antes não faziam parte do escopo da Arca das Letras. Os acervos consistem prioritariamente de livros técnicos e didáticos, como meio de subsidiar tais locais com materiais diversificados e de qualidade.

Arca das letras e alfabetização

Arca das letras e alfabetização

A agricultora familiar Josefa Francisco Gomes Ataides, 57 anos, moradora do Acampamento Tiradentes, localizado no Núcleo Rural Capão Comprido, em São Sebastião, Brasília (DF), conta que a comunidade passou a acessar o programa, em 2017, por indicação de uma professora do Bibliorodas, um projeto de sensibilização de leitores em locais de difícil acesso que visitava a comunidade.

Com mais de 60 famílias de agricultores familiares produtores de ervas medicinais morando no acampamento e vivendo de maneira integrada, o programa trouxe a eles, principalmente, a facilidade de acesso aos livros, pois os moradores já trabalhavam com rodas de leitura, mas não tinham um material extenso. As rodas de leitura e as oficinas que aconteceram no momento de entrega da arca possibilitaram um trabalho de melhor qualidade.

Josefa se emociona ao dizer que mesmo não tendo formação acadêmica conseguiu alfabetizar mais de 20 pessoas da comunidade. “O conhecimento traz libertação. O programa Arca das Letras faz com que esse distanciamento entre a escola e as comunidades menos favorecidas seja encurtado.  Com um livro na mão posso viajar sem sair de casa, além de partilhar, comunicar e enriquecer as nossas vidas e os nossos momentos. Ler é libertador, um empoderamento que ninguém pode nos tomar.”

Para saber mais sobre o Programa Arca das Letras clique aqui.

Campanha Agricultura Familiar na Raiz

A campanha “Agricultura Familiar na Raiz” é promovida pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), com o intuito de apresentar o impacto de suas ações voltadas ao agricultor familiar em prol do desenvolvimento no país. O setor é responsável por cerca de 70% dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros.

Acesse a campanha completa aqui.

 

Fonte: mda.gov.br



Diga-nos o que achou do post: