AJUDAR OU COLABORAR, QUAL É A SUA?

Embora pareçam ter o mesmo significado, ajudar e colaborar têm significados distintos, ajudar é prestar socorro a quem precisa, prestar um favor, deixa a impressão de urgência, de ser o último recurso para a salvação quando tudo já está ou parece perdido. Já colaboração tem a ver com trabalhar junto, trocar conhecimentos, estar disponível ao outro não só quando ele precisa de ajuda, mas o tempo todo, para que o trabalho seja bem realizado e o colega não precise de ajuda. Você colabora ou só ajuda no seu trabalho?

Em ambientes corporativos colaborativos podemos observar que as pessoas trabalham não só para o seu sucesso pessoal, mas também para o sucesso dos colegas, pois sabem que não há trabalho bem feito realizado de forma solitária e que apenas ajudar seu colega nas dificuldades não vai fazer com que ele também melhore como profissional, afinal, ao ajudar apenas tira a pessoa do sufoco momentâneo mantendo-a do mesmo jeito, o que prejudica todo o departamento ou a empresa em suas metas globais.

Ajudar significa que a sua disponibilidade é limitada a somente aquele evento e no ponto exato de dúvida, normalmente só se mostra o erro ao colega e ele que se vire para corrigir, quem ajuda, nesse caso, acredita que já fez muito e deixa o colega se virar, podendo prejudicar todo o andamento dos projetos e o próprio trabalho, é como dizer “encontrei o problema, seu incapaz,  agora se vira, minha parte eu já fiz, não me perturbe novamente, e não me entregue trabalho errado, você vai me prejudicar assim”. Quem colabora com o colega está disponível o tempo todo, entende que qualquer erro cometido pode ser prejudicial a todo o departamento onde trabalha, prejudicando todos e levando ao erro coletivo e, por consequência, ao não cumprimento das metas estabelecidas, daí então todos trabalham juntos, trocando informações do andamento das partes que lhes cabe, das dificuldades encontradas e das soluções também, o envolvimento é de todos, com um objetivo pessoal e coletivo de ter os melhores resultados ao final do processo.

Um bom líder incentiva seu grupo a trabalhar de forma colaborativa, elimina a concorrência entre seus liderados e as disputas internas, torna seu local de trabalho mais harmonioso, permitindo que seus funcionários sejam realmente colaboradores entre eles e com a empresa, assim como a empresa deve colaborar com seus funcionários, numa via de mão dupla. Não adianta tratar funcionários como colaboradores para discurso externo e assim ficar na moda e parecer que a empresa é socialmente correta. A empresa precisa ser realmente socialmente correta e ter em seu estatuto a colaboração entre os funcionários como uma das premissas de sua gestão. Cabe ao líder e à alta gerência conduzirem e incentivarem seus funcionários a terem essa atitude, exerça esse funcionário qual função for, que seja desde o mais alto executivo até o funcionário menos graduado, todos devem ter essa mentalidade dentro da empresa e efetivamente ser colaborativo com os colegas.

Em empresas onde impera o cada um por si, o trabalho individualizado, acontece de muitas vezes um erro que prejudica todo um processo não ter dono, todos os funcionários se eximem de culpa ou ela recai apenas em um funcionário, pois ele trabalha isolado e pode contar pouco com os colegas. Esse tipo de mentalidade causa a alta rotatividade dentro da empresa, aumentando os custos, que incidem tanto nas contratações quanto nas demissões. Sem contar que cada funcionário novo demanda um tempo determinado de treinamento até que possa realizar suas tarefas com domínio, esse é outro custo que pressiona a empresa. Existem líderes que incentivam essa concorrência dentro de suas empresas, acreditando que isso traz melhores resultados, pode até parecer que sim quando se olha os números sem analisar outros dados, mas na verdade acontece o contrário, se de um lado os números parecem positivos, eles se dissolvem lá na ponta, quando se coloca no papel os custos da alta rotatividade de pessoal.

Quando funcionários colaboram entre si o clima interno na empresa fica bem melhor, naturalmente. Não existe uma disputa interna para saber quem é o melhor, pois nesse caso todos sabem exatamente quem é quem dentro do quadro de funcionários, das dificuldades de cada um e também das suas melhores habilidades e os gerentes utilizam isso como critério para distribuir tarefas e constituir grupos de trabalho, tornando os projetos muito mais produtivos e lucrativos, pois cada membro vai ser complementar ao outro, suprindo deficiências, ensinando e aprendendo o tempo todo, enfim, crescendo profissionalmente, tornando a realização de qualquer tarefa menos árdua para o funcionário e mais eficiente para a empresa.

Eu acredito que essa colaboração também gere menos estresse entre os funcionários, uma vez que todos ali envolvidos sabem que podem contar uns com os outros não só em caso de necessidade, mas constantemente, sem contar que essa prática reduz muito os índices de erros, evitando o que chamo de retrabalho, ou seja, ter que fazer tudo outra vez, gerando eficiência e produtividade, o que faz toda a diferença no todo e no caixa. Uma empresa em harmonia produz melhores produtos, com certeza, e tem clientes muito mais satisfeitos. Pode não parecer mas tudo o que acontece internamente é percebido por quem está de fora, ou seja, pelo cliente. Preste atenção quando você está em um supermercado nos funcionários que trabalham ali no salão, quando a empresa é leve e harmoniosa as caras deles estão sempre boas, normalmente com um sorriso no rosto, agora, quando o ambiente é pesado o semblante é outro, estão todos desatentos, de cara fechada, não dão informação direito, um horror. Preste atenção nisso e você vai dar razão ao que estou falando aqui. Assim é em qualquer empresa, mesmo naquelas em que os funcionários não te atendem pessoalmente você consegue perceber de várias outras formas o clima de trabalho que impera, pode ser na qualidade dos produtos, no índice de problemas, na condução da solução e tantos outros sintomas.

Quem não quer uma empresa com índices de erros menores ou inexistentes? O que pode ser bem difícil não ter erros, dependendo da empresa e dos produtos erros podem acontecer, mas vamos lá, jogar para cima, porque para baixo já tem muita gente puxando. Mas caso aconteçam os erros a empresa precisa ser boa para resolver esse problema e aí uma empresa mais harmoniosa, cujos funcionários são colaborativos, vai fazer isso de forma excepcional, deixando o cliente satisfeito com a solução. Então se você quer sua empresa mais produtiva, com mais harmonia entre os funcionários, seja você o grande gerador disso tudo, seja um líder colaborativo e estimule a colaboração entre os funcionários, depende de você e de mais ninguém e seu caixa vai agradecer. Então, qual é a sua?



Formado em Letras e pós-graduado em Marketing, membro convidado da Academia de Letras da Manchester Mineira. Com formação em Coaching, atua como treinador de vendedores e Palestrante Motivacional. Poeta, contista, cronista e articulista. Três vezes finalista do prêmio Top Blog, na categoria Política e colaborador no jornal Tribuna de Minas. Participação no projeto "Poesia na Escola" como autor de destaque na edição de 2022, você pode baixar o e-book do projeto acessando o link: https://online.fliphtml5.com/dozlr/ajdc/ Autor de dois livros "Conselhos Diários. Você Não Tem Limites!" e "Você Pode Mudar!", onde fala sobre aspectos de carreira e liderança. Você pode comprar no site: https://bio.uiclap.com/celsociampi

Diga-nos o que achou do post: